Assine Já
quinta, 21 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

CPI na Alerj vai investigar se laudos do Hospital da Mulher foram rasurados

Perícia grafotécnica foi aprovada por deputados em virtude de suspeitas

05 junho 2019 - 10h08
CPI na Alerj vai investigar se laudos do Hospital da Mulher foram rasurados

TOMÁS BAGGIO

A suspeita de que laudos médicos do Hospital da Mulher de Cabo Frio tenham sido rasurados motivou a aprovação, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembléia Legislativa (Alerj) que investiga as mortes ocorridas na unidade desde o início deste ano, de um pedido para a realização de perícia grafotécnica nos documentos. A análise será feita por peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli.

– A realização da perícia será imprescindível para verificar essa suspeita de rasuras – disse a presidente da Comissão, deputada estadual Renata Souza (PSOL), ao colocar a medida em votação na sessão de ontem.

A deputada Marta Rocha (PDT), também integrante da CPI, pediu providências para que a perícia possa ser feita rapidamente.

– É uma pena que exista essa suspeita de rasuras. Mas é muito importante ver que essa CPI está buscando a verdade. Sugiro que possamos entrar em contato com a Polícia Civil, porque se trata de um exame muito específico. Então temos que ver se eles irão mandar um perito até o hospital para fazer uma análise preliminar, ou se vão solicitar que o material seja levado até o perito. Sugiro esse contato o quanto antes pra gente não perder tempo – avaliou Marta Rocha.

Outro assunto debatido foi a ausência de duas famílias que perderam bebês este ano no Hospital da Mulher. Segundo os integrantes da CPI, foi a segunda vez que as famílias confirmaram presença e desmarcaram em cima da hora alegando problemas pessoais. Os parlamentares destacaram que a CPI havia fornecido o transporte de ida e volta para o depoimento.

– É preciso saber exatamente o que está acontecendo, se houve alguma intimidação sutil ou algo do tipo, porque é a segunda vez que essas famílias não comparecem. O depoimento pode ter desdobramentos sérios e essas famílias podem estar melindradas – considerou ainda a deputada Marta Rocha.

A deputada Renata Souza prometeu entrar em contato com as famílias para averiguar a situação. Já o deputado Subtenente Mauro Bernardo (PROS), também integrante da CPI e morador de Cabo Frio, se ofereceu para levar pessoalmente as famílias até a Alerj.

CPI prorrogada, médicos convocados e audiência pública

Também na sessão de ontem, os trabalhos da CPI foram prorrogados por mais 90 dias.

– Esperamos não fazer uso de todo o prazo, mas é importante prorrogar para podermos trabalhar com tranquilidade nestes últimos encaminhamentos da CPI – disse a presidente da Comissão, deputada estadual Renata Souza (PSOL).

Os deputados aprovaram ainda a convocação de dois médicos. Um deles é o ex-diretor médico do Hospital da Mulher, que já havia prestado depoimento no dia 2 de abril. Na mesma data do depoimento ele foi exonerado da direção da unidade, junto com a mulher, Lívia Natividade, que era a diretora administrativa.

– Estamos encaminhando neste momento a convocação de dois médicos que atenderam alguns dos casos que resultaram em mortes de bebês. São eles o Dr. Carlos Raposo, que foi por sugestão da nossa relatora, a deputada Enfermeira Rejane, e o Dr. Paul Hebert Dreyer, que já foi ouvido aqui uma vez porque era o diretor do hospital, mas agora iremos ouvi-lo a respeito dos casos que foram atendidos por ele – disse ainda Renata Souza, que teve a solicitação aprovada pelos demais deputados integrantes da CPI.

O Hospital da Mulher está sendo investigado em duas Comissões de Inquérito, uma na Câmara Municipal e outra na Assembleia Legislativa (Alerj) por causa das mortes ocorridas na unidade de saúde desde o início deste ano. Foram 16 mortes em três meses. A última delibe- ração da sessão de ontem foi a aprovação da realização de uma audiência pública em Cabo Frio, marcada para o próximo dia 17, às 18h, ainda sem local definido.

– Quero elogiar a maneira como a CPI está sendo conduzida. As deliberações trazidas hoje mostram o cuidado de conhecer efetivamente a verdade. Ao final, essa CPI terá uma grande coletânea de provas e elementos para trazer um relatório que vai encontrar a verdade sobre o que aconteceu, mas também contribuir para a melhoria dos equipamentos de saúde em Cabo Frio – concluiu a deputada Marta Rocha.