Assine Já
domingo, 24 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
INSS

Correios de Cabo Frio aderem à paralisação; INSS completa 72 dias

Em tempos de greve, é o povo que paga o pato

17 setembro 2015 - 09h28

RODRIGO BRANCO

 

Unidades da Empresa Bra­sileira de Correios e Telégrafos (ECT) de Cabo Frio amanhece­ram fechadas ontem. Os funcio­nários aderiram à greve nacional da categoria, decidida na noite de terça-feira pela Federação In­terestadual dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Findect). A mobi­lização é por tempo indetermi­nado e, segundo as lideranças locais do movimento, a adesão dos servidores é praticamente total, com exceção dos 10% do contingente que, por lei, devem continuar trabalhando.

A movimentação dos cartei­ros e funcionários de outros se­tores começou cedo, nas primei­ras horas da manhã, em frente à Central de Distribuição, em São Cristóvão. De lá, os trabalha­dores partiram para a principal agência da cidade, no Largo de Santo Antônio, no Centro, onde fizeram um ato público e distri­buíram panfletos. Normalmente muito movimentado, o posto fez falta à população. Enquanto a Folha esteve no local, pelo me­nos cinco pessoas que procura­vam pelos serviços deram com a cara na porta.

   

A categoria exige reajuste sa­larial de 9,56%, equivalente à inflação dos últimos 12 meses medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo. A empresa oferece 6%. Entre as outras rei­vindicações está a contratação urgente de funcionários; padro­nização dos postos de trabalho e, principalmente, a manutenção do plano de saúde sem descon­to salarial. A questão do atendi­mento médico está na proposta formulada pelo Tribunal Supe­rior do Trabalho, que faz a in­temediação das negociações. O TST acena também com a incor­poração ao salário de uma gra­tificação R$ 150 e o pagamen­to de um abono de R$ 200, em duas parcelas. Uma assembleia está marcada para a próxima se­gunda-feira, às 10 horas, no Rio.

A agência mais vazia que o normal sugere que o atendi­mento será rápido, mas não é bem isso o que acontece. Com efetivo reduzido tanto na parte de atendimento, como na perí­cia médica, a agência do INSS de Cabo Frio, que hoje comple­ta o 72º dia de paralisação, está longe de proporcionar um bom serviço aos segurados da Previ­dência e à população em geral.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta quinta-feira (17)