Assine Já
segunda, 25 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Centro de Reabilitação

Convênio colocará Centro de Reabilitação em funcionamento

Parceria entre Prefeitura e Estácio foi assinada nesta quarta (5)

05 abril 2017 - 14h32Por Redação | Divulgação PMCF
Convênio colocará Centro de Reabilitação em funcionamento

Depois de quase quatro anos, um ‘elefante branco’ finalmente será colocado em funcionamento. Inaugurado em 2013, mas sem nunca ter atendido sequer um paciente, o Centro de Reabilitação funcionará a partir do segundo semestre como um centro-escola para recuperação e fisioterapia. O convênio entre Prefeitura e a Universidade Estácio de Sá foi assinado pelo prefeito Marquinho Mendes (PMDB) na manhã desta quarta-feira (5). O termo que permite estágio na unidade também já foi firmado.

– O mais rápido possível vou colocar o Centro de Reabilitação funcionando. Já estou licitando o obra porque acabaram com o Centro de Reabilitação. Quero inaugurar no segundo semestre porque é uma obra importante para cidade – disse o prefeito.

Para o diretor da Estácio, Nirlei Barros, a parceria será uma oportunidade de aliar o conhecimento acadêmico ao atendimento prático de alta complexidade. O trabalho será supervionado por docentes e profissionais da área.

– É a junção da iniciativa privada com o poder público. Dentro da Estácio já existia uma clínica de referência, que hoje já fazia uma quantidade relevante de atendimentos, mas que tinha uma capacidade ociosa para fazer atendimento ao público. Então é juntar um centro de reabilitação de primeiro mundo como de Cabo Frio com a qualidade do atendimento que a gente tem para fazer um atendimento em escala. Para o aluno será uma valorização muito grande – acredita Barros.

Como o local, considerado de referência, ficou muito tempo inativo, houve uma degradação natural do espaço, inclusive da cara piscina especial para exercícios, o que justifica a necessidade das obras. A questão da ligação elétrica do centro que jamais chegou a ser ligada também será resolvida junto à concessionária.