Assine Já
segunda, 28 de setembro de 2020
Região dos Lagos
35ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8099 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 487 10
Arraial do Cabo 248 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
PT

Convenção do PT de Cabo Frio está nas mãos da Executiva Estadual

Derrotado nas prévias do partido por Flávia de Jesus, Luciano Silveira contesta contagem dos votos

09 agosto 2016 - 09h19Por Rodrigo Branco I Foto: Divulgação
Convenção do PT de Cabo Frio está nas mãos da Executiva Estadual

O engenheiro Luciano Silveira disse nesta segunda-feira (8) à Folha que recorreu à executiva estadual do PT para contestar a decisão do partido em lançar a professora Flávia de Jesus como candidata a prefeita de Cabo Frio. Pré-candidato a vereador, ele acabou derrotado nas prévias para a eleição majoritária. O PT decidiu pela candidatura própria na última hora, no fim do prazo para a realização das convenções partidárias – nos bastidores, era tido como certo o apoio a Marquinho Mendes (PMDB).

Segundo o engenheiro, dos 11 membros aptos a votar, apenas oito o fizeram. Ele reclama que, quando o placar estava 4 a 3 ao seu favor, o presidente da plenária votou para empatar a disputa e, em seguida, dar o voto de minerva a favor de Flávia.

– O presidente votou duas vezes. Em qualquer instância que seja, isso não pode acontecer. O presidente vota apenas para desempatar – queixa-se.
Mas, de acordo com o presidente municipal do partido, José Leandro Júnior, a contagem é outra. Ele relata que a primeira votação foi apertada (6 a 4), e, por conta de divergências no processo de escolha, os membros que apoiavam a candidatura do engenheiro Luciano Silveira não quiseram participar da segunda votação.

Para Júnior, o fato de a professora sempre ter defendido a candidatura própria foi determinante na escolha.

– A candidatura dela surgiu lá atrás quando a gente ainda debatia o apoio a Marquinho. Já o Luciano sempre se apresentou como candidato a vereador e contrário à candidatura própria – argumenta.

Luciano contestou a declaração de Júnior.

– A questão mudou por causa da conjuntura. Quando não houve mais a possibilidade de aliança, os convencionais resolveram me indicar para ser candidato a prefeito – rebate.

Conforme a Folha publicou na última sexta, a decisão aconteceu por conta das desavenças entre o PT e o PMDB, durante o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

Militante – Conhecida pela militância junto aos movimentos negro e de mulheres, Flávia de Jesus aprovou o resultado.
– O partido precisa crescer em Cabo Frio. Há muito tempo não temos candidato próprio. Além disso, a cidade vive um momento caótico e precisa de alguém que tente resolver essa situação – acredita a professora.

A presidente do Movimento Negro de Cabo Frio, Nilcinéa da Silva Azevedo, foi escolhida para ser a candidata a vice da petista.