Assine Já
domingo, 17 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
Defesa do Consumidor

Conselho Municipal de Defesa do Consumidor elege diretoria

Mônica Bonioli e Rodrigo Sodré serão presidente e vice, respectivamente

02 agosto 2019 - 14h55Por Redação I Foto: divulgação
Conselho Municipal de Defesa do Consumidor elege diretoria

A coordenadora-geral do Procon Cabo Frio, Mônica Bonioli, e advogado do Procon, Rodrigo Sodré, foram eleitos presidente e vice-presidente, respectivamente, do Conselho Municipal de Defesa do Consumidor. A eleição foi unânime em assembleia nesta quinta-feira (1).

O órgão foi instituído recentemente junto com a reestruturação do Sistema Municipal de Defesa do Consumidor, que aumenta o poder do Procon local na fiscalização de abusos cometidos por empresas.

O Conselho será composto por oito integrantes, sendo quatro do poder público municipal: Procon, Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria de Turismo, Coordenadoria de Vigilância Sanitária); e quatro de entidades legalmente constituídas e com atuação no município, sendo eles Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação de Engenheiros e Arquitetos da Região dos Lagos (Asaerla), Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), Associação Comercial, Industrial e Turística de Cabo Frio (ACIA) e da União de Associação de Moradores de Cabo Frio (Uniamacaf).

A reestruturação do Sistema Municipal de Defesa do Consumidor foi sancionada pelo prefeito Dr. Adriano Moreno em abril deste ano, por meio da Lei nº 3.023/2019, e abrange tanto o Conselho, Fundo Municipal dos Direitos Difusos Consumeristas, Comissão de Avaliação Preliminar e o próprio Procon.

A comissão de avaliação preliminar do Procon/ CAPP funciona como primeira instância de julgamento dos recursos administrativos propostos pelas empresas que sofreram sanção administrativa pelo órgão. O conselho atua na formulação de estratégias e diretrizes para a política municipal de defesa do consumidor, também julga recursos administrativos em segunda e última instância. Já o fundo é para o gerenciamento dos recursos destinados ao desenvolvimento das ações e serviços de proteção aos direitos dos consumidores.