Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Maria Luisa

Condutor do banana boat é ouvido na Capitania dos Portos

Segundo comandante Jonas Oliveira, ele afirmou que lancha estava em alta velocidade

07 dezembro 2016 - 01h04Por Fernanda Carriço | Foto: Reprodução de TV
Condutor do banana boat é ouvido na Capitania dos Portos

 O dono da banana boat que transportava Maria Luisa San­tana Serra, 10, a menina que foi decapitada no fim de semana na Praia do Forte, esteve ontem pela manhã na Capitania dos Portos. O comandante da instituição, capitão-tenente Jonas Olivei­ra, comandou a segunda oitiva com o condutor. Segundo Jonas, ele informou que havia saído da altura dos quiosques, onde tem ponto, e estava em direção ao Carolina, próximo à Boca da Barra. Quando estava na altura do Hotel Malibu, do lado direi­to da embarcação vinha a lancha guiada por Nostradamus Pereira Coelho, 65.

– Ele disse que buzinou, ace­nou, fez muito barulho até que o condutor o visse. Segundo ele a lancha estava em alta velocidade e a proa estava levantada, o que diminui a visibilidade. Quando o condutor ouviu o alerta do con­dutor da banana, ele conseguiu desviar da lancha, mas não da banana – informou o comandan­te da Capitania.

Nostradamus Pereira, 65, que está respondendo o inquérito po­licial em liberdade, vai ser con­vocado nesta quarta-feira para comparecer à Capitania dos Por­tos. A instituição abriu inquérito para apontar as causas do aci­dente entre a lancha e a banana que matou a pequena Maria Luisa no sábado à tarde. O inquéri­to ficará pronto em até 90 dias.

Plano Verão – O plano ve­rão começa no próximo dia 15 e segue até 1° de março de 2017. Segundo Jonas, a agência já re­cebeu o reforço de 30 militares e serão três lanchas a mais. Ques­tionado sobre falta de fiscaliza­ção no mar, Jonas rebate:

– Fomos os primeiros a che­gar à ocorrência porque estáva­mos fiscalizando o mar. O que houve foi uma fatalidade e a gente fica muito triste com isso. Nós lamentamos muito, estamos consternados. Trabalhamos in­cessantemente para que eventos como este não ocorram. Faze­mos o nosso papel. Somos até rotulados de chatos de tanto que abordamos os condutores de Jet, por exemplo – declarou Jonas que aproveitou para informar que qualquer irregularidade que for flagrada deve ser denunciada à Capitania no telefone 2645 5074.

O comandante da Capitania já tem data certa para deixar o comando da mesma. Ele será desligado do comando da agen­cia Cabo Frio no próximo dia 17 de janeiro, quando será substitu­ído pelo capitão Rogério Soares de Souza.

Buscas recomeçam – Desde as primeiras horas do dia de on­tem homens do Corpo de Bom­beiros e Capitania dos Portos re­tomaram as buscas pelos restos mortais de Maria Luísa. A ope­ração reúne 18 soldados do 18º Grupamento Bombeiro Militar, 25 agentes da Capitania dos Por­tos, três botes, três jet skis e um helicóptero da Marinha de São Pedro da Aldeia e não há previ­são para acabar.