Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Educação

Comissão de Educação de Cabo Frio em compasso de espera

Eduardo Kita contesta a informação de que criação de grupo não tinha sido aprovada

27 novembro 2015 - 10h35

Está a cargo da presidên­cia da Câmara de Cabo Frio a nomeação dos membros da recém-criada Comissão Espe­cial de Educação da Casa. No entanto, isso não tem data para acontecer, segundo dois dos vereadores que assinaram a proposição que cria o grupo de trabalho: Aquiles Barreto (SD) e Eduardo Kita (PT).

Kita, aliás, esteve na tribuna na sessão de ontem para contes­tar informação veiculada pelo Sindicato dos Profissionais da Educação da Região dos Lagos (Sepe-Lagos) e na edição da Folha do último dia 18 segun­do a qual não teria sido conse­guidas as assinaturas necessá­rias para criar a comissão.

Além de Aquiles e Kita, as­sinaram o documento Adriano Moreno (Rede), Celso Cam­pista (PSB), Braz Enfermeiro (PMDB), Emanoel Fernandes (Pros) e o próprio Marcello Corrêa (PP). Curiosamente, o papel onde constavam as as­sinaturas não estava junto ao documento arquivado na se­cretaria da Casa. Desta forma, elas tiveram que ser novamente recolhidas no plenário.

Os nomes dos componentes da comissão deverão seguir o crité­rio partidário, obedecendo as pro­porções das bancadas. Segundo Aquiles Barreto, o objetivo da comissão é levantar informações sobre as diversas denúncias que vem sendo feitas na área, como falta de licitação para utilização de verba federal de cerca de R$ 960 mil, chamada de concursados, en­tre outros pontos de uma extensa pauta de negociações.

– O importante é que a gente já tem essa comisão formada e a gente tem agora que começar os trabalhos para não ter mais os er­ros que vem tirando o sono dos funcionários da Educação – co­mentou Aquiles Barreto.