Assine Já
domingo, 20 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
transporte

Comissão cai no esquecimento

Negociações não avançaram 

18 junho 2014 - 18h25
Comissão cai no esquecimento
A promessa de resolver a questão do transporte público, feita pela Prefeitura de Cabo Frio, faz nos próximos dias aniversário de um ano. E sem nem chegar perto de sair do papel. Conduzidas num ritmo de tartaruga pela Procuradoria-Geral do Município e pela Secretaria de Transportes, as reivindicações que saíram dos movimentos de rua repousam, tranquilamente, num gabinete qualquer.
Procurado pela Folha, o procurador-geral Marcos Meneses afirmou, nos últimos dias, o que vem afirmando em outras entrevistas desde o início do ano: que o governo quer integrar a Comissão de Transportes ao Conselho Municipal de Transportes, tendo o atual secretário da pasta, Victor Moreira dos Santos, como presidente da nova entidade. Meneses já havia dito o mesmo em fevereiro, mas, quatro meses depois, nada foi feito.
– Várias deliberações da Comissão são de competência do Conselho. Então, foi feita a integração, e o novo con-selho absorveu as demandas – explicou, referindo-se a um movimento político executado ainda no ano passado.
Mas há esperança para tanta enrola-ção. Segundo o secretário de Transportes, Victor Moreira, a votação em caráter de urgência  para integar as duas instituições deve ocorrer esta semana, na Câmara Municipal.
– Está tudo encaminhado, depende apenas da agenda da Casa. Tinham até me passado que a votação seria na quinta-feira (amanhã) – contou o secretário, que, ao ser lembrado do feriado de Corpus Christi, ficou em dúvida se a data havia sido passada corretamente.
Após o diálogo com a reportagem da Folha, em que respondeu apenas duas perguntas, o secretário preferiu que os demais questionamentos sobre o transporte público, as reivindicações popu-lares e a comissão fossem enviadas por e-mail. Mas, uma semana depois, o secretário ainda não respondeu a nenhuma pergunta.