Assine Já
terça, 19 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
MEIO AMBIENTE

Comerciantes das praias do Foguete e Peró disponibilizam recipientes para descarte de bituca de cigarro

Medida faz parte de campanha para conscientização de fumantes

23 janeiro 2020 - 18h20Por Redação
Comerciantes das praias do Foguete e Peró disponibilizam recipientes para descarte de bituca de cigarro

Com o objetivo de conscientizar os fumantes a não descartarem bituca de cigarro nas praias, comerciantes das praias do Foguete e Peró disponibilizam recipientes para destarte do filtro. A ação faz parte da campanha iniciada na terça-feira (23) pela Prefeitura de Cabo Frio, através Secretaria de Meio Ambiente de Cabo Frio, e em parceria com a Coordenação do Programa Bandeira Azul e a Associação de Quiosques do Peró.

“Orientamos os quiosqueiros e donos de restaurantes para que disponibilizem os recipientes e nos ajudem nesse cuidado com o meio ambiente. Dessa forma, os visitantes e turistas têm opções, além das lixeiras”, explicou a coordenadora do Bandeira Azul, Paloma Aires.

A coordenadora lembrou que a guimba de cigarro é um dos vilões dos mares e uma das causas de mortes de animais marinhos e pássaros. Além disso, segundo ela, “a Organização das Nações Unidas (ONU) a considera como o resíduo mais encontrado nas praias”.

Além dos recipientes, a comissão da campanha instalou banners nas praias do Peró e do Foguete. As próximas a receberem as peças gráficas serão as orlas de Tamoios e Forte, o que deve ocorrer até semana que vem. As placas informativas trazem as frases “A praia não é cinzeiro”, “Cinco anos para se decompor”, “Cerca de cinco trilhões de pontas de cigarro poluem os litorais do planeta” e “Cada coisa no seu lugar! E o das bitucas não é no mar”.

De acordo com a organização, a ideia é promover educação ambiental por meio da mudança de comportamento, que é um dos critérios fundamentais da Certificação Internacional Bandeira Azul.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.