Assine Já
sábado, 19 de junho de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
17ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 43332 Óbitos: 1676
Confirmados Óbitos
Araruama 10701 336
Armação dos Búzios 5211 57
Arraial do Cabo 1501 83
Cabo Frio 11534 622
Iguaba Grande 4461 107
São Pedro da Aldeia 5895 260
Saquarema 4029 211
Últimas notícias sobre a COVID-19
caramujo africano

Combate a Vetores orienta população para o controle de caramujos africanos

O caramujo africano é uma praga que afeta plantações e pode transmitir doenças

19 janeiro 2016 - 09h59
Combate a Vetores orienta população para o controle de caramujos africanos

Com a chegada do verão e do período de chuvas, o setor de Combate a Vetores da Vigilância Sanitária, órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde de Cabo Frio, orienta a população para o controle do caramujo africano, uma praga que afeta plantações e pode transmitir doenças.

O molusco costuma se desenvolver em terrenos baldios, hortas, plantações e áreas onde existe entulho. É muito comum encontrá-los repousando durante o dia em troncos de árvores, ramos e folhagens, assim como em cercas, muros e paredes.

A orientação é que quando um caramujo africano for encontrado em uma área de casa,  como um quintal, o morador deve recolher o molusco - bem como conchas vazias e ovos também - usando luvas descartáveis ou sacolas plásticas, evitando contato direto com as mãos. Após recolhidos, dentro de sacos plásticos de lixo, amasse os caramujos, os ovos e as conchas e enterre-os em seguida, jogando um pouco de cal virgem por cima e  no fundo da vala.

Outra forma de descarte é após recolher os caramujos em sacos plásticos e amassá-los, jogar cal virgem dentro das sacolas, amarrar bem e colocar na coleta de lixo. O morador não deve se esquecer de lavar muito bem as mãos após o procedimento, além de descartar os vasilhames e as luvas junto ao seu lixo doméstico.

Não é recomendável jogar veneno sobre os caramujos, pois pode contaminar o ambiente e se contaminar;

Também não se deve tocar no caramujo e levar as mãos à boca; e nem abandonar ao ar livre as conchas dos caramujos sem destruí-las, porque as mesmas poderão servir de criadouros naturais para o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

É muito importante lavar bem verduras, frutas e legumes para que não haja ingestão acidental do caramujo. O correto é deixar esses alimentos por 10 minutos em um recipiente com uma mistura de água com água sanitária (uma colher de água sanitária para cada litro de água) antes de consumi-los.

Outra orientação dada pelo setor de Combate a Vetores é a de manter terrenos limpos e incentivar os vizinhos a fazerem o mesmo, já que o caramujo aparece com mais frequência em locais com mato, entulho e lixo. Evitar ao máximo, também,  deixar telhas, tijolos, sobras de construções ou excesso de plantas nos terrenos.

 A responsabilidade sobre o controle desta praga é dever e obrigação de todos os cidadãos.

 

Fonte: ASCOM/ Prefeitura de Cabo Frio