Assine Já
quarta, 30 de setembro de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8382 Óbitos: 435
Confirmados Óbitos
Araruama 1653 103
Armação dos Búzios 495 10
Arraial do Cabo 252 15
Cabo Frio 2765 149
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1353 54
Saquarema 1180 68
Últimas notícias sobre a COVID-19
morte

Colônia Z4 nega versão de briga em morte de pescador

Homem morreu nesta madrugada após se jogar ao mar para salvar colega que caiu de barco

09 maio 2015 - 15h30

O presidente da Colônia de Pescadores Z-4 de Cabo Frio, Alexandre Marques, negou a versão de que houve briga e troca de tiros momentos antes da morte do pescador Odair José Santos da Silva, 42, nesta madrugada, no ponto pesqueiro conhecido como ‘Mar da Ilha’, a cerca de 45 milhas náuticas (83Km) da costa de Cabo Frio. Alexandre ajudou no resgate do barco Tutti  I, onde Odair estava com outros três tripulantes.

 Segundo ele, o acidente aconteceu por volta das 13 h desta sexta-feira quando, por conta do mar agitado, um dos seus colegas, Elieldo Schnaider, 50, teria caído do barco. Odair teria se jogado ao mar a fim de salvar o companheiro, mas acabou morrendo. No momento da tragédia, o Tutti I estava ancorado no local e, durante a tentativa de salvamento, a corda usada para o salvamento de ambos teria enroscado no cabo que fazia o fundeio da embarcação. Elieldo acabou socorrido por outro barco, que estava próximo, e levado para a UPA de onde já recebeu alta, enquanto Odair, apesar de recebido os primeiros socorros dos colegas, não resistiu.

 A Capitania dos Portos foi avisada por rádio pela Estação Costeira Atalaia e enviou uma equipe, mas em função da distância da costa, da baixa velocidade das embarcações e das condições do mar, a agonia se estendeu por 12 horas e o resgate só foi concluído nas primeiras horas da manhã deste sábado. De acordo com Alexandre, que elogiou a ação da Capitania, faltam barcos de apoio para salvamentos mais rápidos em caso de acidentes.

 – Gostaria muito de agradecer à Capitania dos Portos que deu um suporte muito bom pra gente, mas desde 1998 solicitamos esses barcos e apoio, justamente para resgatar essas pessoas. A Prefeitura tinha que colocar uma pessoa para ficar de plantão 24 horas para casos como esse – argumenta.

 Por sua vez, o capitão-tenente Jonas Oliveira, responsável pela Capitania disse que, independentemente da apuração da Polícia Civil sobre o caso, será instalada internamente um Inquérito de Apuração e Fatos de Navegação para esclarecer as circunstâncias da morte de Odair, cujo corpo já foi liberado pelo IML de Cabo Frio a fim de ser sepultado em Campos, sua terra natal. O resultado do laudo cadavérico, no entanto, não foi divulgado.