Assine Já
quinta, 24 de setembro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7942 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1581 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 231 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 649 36
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
colégio

Colégio Rui Barbosa está por um fio

Proposta de encerramento é aprovada em fórum 

23 setembro 2014 - 14h50Por Nicia Carvalho e Gabriel Tinoco
Colégio Rui Barbosa está por um fio

Com mais de trinta anos desde o início das atividades, o ensino médio de Cabo Frio corre o risco de ser extinto da competência municipal. Essa foi a proposta apresentada pela Secretaria de Educação durante o fórum realizado no último sábado, e que teve 85 votos a favor contra 81, podendo acabar, inclusive, com uma das escolas mais tradicionais da cidade, o Rui Barbosa. Se a determinação for realmente acatada pela Câmara, cerca de 2.000 vagas de ensino médio serão extintas em Cabo Frio.

A medida aprovada prevê a dissolução gradativa do ensino médio municipalizado. Com isso, o Rui Barbosa seria extinto em um prazo de três anos e seus alunos (e possíveis alunos) seriam realocados para escolas de competência do estado.

Entidades representativas como o Grêmio Estudantil do Colégio Rui Barbosa e o Sindicato dos Profissionais da Educação do Estado do Rio de Janeiro (Sepe Lagos) denunciam manobra da secretaria de usar o fórum para acabar com o Rui Barbosa, sob alegação de falta de recursos para o ensino médio.

– Cabo Frio não tem problema de dinheiro, não somos uma cidade pobrinha. O orçamento anual da educação é de cerca R$ 210 milhões [ na LOA o valor é de R$ 189,8 milhões]. O ensino médio não usa nem 1% disso. Essa justificativa da secretaria é furada – disparou Denize Alvarenga, representante dos professores do ensino médio.

Segundo ela, a alegação da  Secretaria de Educação é de que os recursos não são suficientes para prover o ensino fundamental e a educação infantil, obrigações do governo municipal previstas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). O aumento no número de vagas para a educação infantil, que não atende a demanda, é outra justificativa dada pela secretaria durante o fórum. A LDB prevê ainda que o ensino médio seja de competência do governo estadual e o curso superior de responsabilidade da União. Para Denise, a manobra impetrada pela atual gestão não é novidade entre a categoria.

– A lei não proíbe os municípios de atuarem fora de suas competências. Esse artifício é antigo, assim como nossa luta é histórica para evitar isso – rebateu a professora, citando como exemplos o Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, de competência federal, mas que possui ensino médio, e os investimentos de Rio das Ostras em uma universidade pública municipal.

Ruan Vidal, vice-presidente do Grêmio Estudantil do Rui Barbosa e diretor de movimentos sociais da Associação de Estudantes do Estado do Rio de Janeiro (Aerj), rebate as alegações da secretaria.

– Isso é um absurdo. O Rui é a única escola só de ensino médio em Cabo Frio. Vamos mobilizar a comunidade escolar e a secretaria vai sentir o poder dos estudantes – assegurou, enumerando as conquistas dos estudantes como lanche, camisa branca exclusiva para a escola e gratuidade no transporte público.

Segundo ele, os gastos com o ensino médio na cidade é mínimo comparado às outras escolas de ensino fundamental.

– O dinheiro não é o problema. Eles (governo) já tentaram antes e não conseguiram. Não vão ter sucesso desta vez. Vamos para as ruas – afirmou.

Procurada pela reportagem da Folha dos Lagos, a Prefeitura não retornou o contato.

Veja reportagem completa na edição da Folha desta terça-feira (23).