Assine Já
quarta, 27 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22503 Óbitos: 742
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2960 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6068 247
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Mauro Branco

Cidade Viva: Mauro Branco deseja trânsito não voltado apenas aos carros

Secretário quer Plano Municipal de Mobilidade Urbana

02 fevereiro 2017 - 08h09Por Gabriel Tinoco I Foto: Arquivo Folha
Cidade Viva: Mauro Branco deseja trânsito não voltado apenas aos carros

 Durante o verão, o trânsito foi um dos principais problemas de Cabo Frio. Para que isso não se repita no decorrer do ano, e, acima de tudo, seja consertado para o ano que vem, o secretário de Mobilidade Urbana da cidade, Mauro Branco, quer a criação de um Plano Municipal de Mobilidade Urbana e de uma estru­tura de planejamento para o trânsito da cidade. Ele é um dos convidados do Cidade Viva, que acontece hoje, às 10h, no auditório da Folha. O projeto debaterá os temas transporte e comércio informal.

Mauro deseja um mandato parti­cipativo.

– Devo desenvolver o transporte coletivo. Quero ordenar e trazer as pessoas para um processo de edu­cação para as motocicletas. É ne­cessária uma estrutura interna que trabalhe isso: um Plano Municipal de Mobilidade Urbana. Mas que seja de forma participativa. Não tem sentido construir um proces­so unilateral. As minhas duas pro­postas são essas: estrutura interna que trate da parte de trânsito e uma grande conversa com a cidade com o que a cidade anseia para o transi­to – explica.

De acordo com o secretário, o trânsito não deve ser apenas voltado apenas aos carros.

– A gente precisa pensar de uma maneira mais abrangente os itens de conflito que a cidade tem. Não simplesmente carro, mas pedestre, calçada, ciclista, ciclovia, ciclorro­ta, ciclofaixa... É necessário pensar em todos esses atores. A cidade não é só de um tipo de transporte – analisa.

Outro membro da mesa de deba­tes, o secretário de Desenvolvimen­to da Cidade, Claudio Bastos, tam­bém tem planos para o comércio informal.

– Queremos ordenar e legalizar o comércio informal. O principal é ordenamento. Criar regras para o comércio informal, porque enten­demos que ele é importante. Porque atua em diversas áreas. Na realida­de, queremos tirá-los da informali­dade – comenta.