Assine Já
sexta, 05 de março de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
21ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 27159 Óbitos: 934
Confirmados Óbitos
Araruama 6957 183
Armação dos Búzios 3253 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7495 359
Iguaba Grande 2563 58
São Pedro da Aldeia 3575 130
Saquarema 2451 134
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cidade Viva

Cidade Viva cobra mais organização da cidade para o próximo verão

Autoridades responderam a questionamentos de participantes

10 novembro 2017 - 10h33Por Texto e foto: Rodrigo Branco
Cidade Viva cobra mais organização da cidade para o próximo verão

A pouco mais de 40 dias para o verão, o quarto e último ciclo de debates do projeto Cidade Viva, realizado ontem no auditório da Folha, levantou e discutiu os problemas da cidade na preparação para a alta temporada. 

Embora tenha havido entre os presentes o reconhecimento  de melhorias nos últimos meses, foi consenso que a Cabo Frio ainda precisa avançar muito para evitar os problemas registrados nos últimos anos, sobretudo quanto ao trânsito e à ordem pública.

De início, o idealizador do projeto, o jornalista Moacir Cabral, criticou a ausência da secretária de Turismo, Fabíola Bleicker; do coordenador de Eventos, Saulo Mira; dos vereadores e dos deputados estaduais Janio Mendes (PDT) e Silas Bento (PSDB). Do poder público municipal, compareceu apenas o  secretário de Cultura Ricardo Chopinho.

Os principais pontos negativos abordados foram a falta de regulamentação dos ambulantes e das casas de aluguel; o tráfego excessivo de ônibus de excursão pelas ruas da cidade e, sobretudo, a falta de profissionalização do Turismo.

– Há toda uma questão logística envolvida. A cidade deveria se preparar para a entrada desses carros. É uma questão de educação e de respeito ao turista – disse Eduardo Rosa, presidente da Associação e Comercial de Cabo Frio (Acia).

Para o diretor de Comunicação da Prolagos, Ricardo Azevedo, os esforços devem ser conjuntos entre governo e empresariado.

– O poder público tem que fazer a sua parte tapando buracos, organizando a cidade, mas a iniciativa privada também tem que fazer a sua e parar de reclamar – comentou.

Já o empresário Milton Roberto Filho pediu mais controle sobre as mercadorias que são trazidas nos ônibus de excursão. Para ele, é preciso estimular o consumo na cidade.

– Eu costumo reparar o que trazem nesses ônibus. Eu me surpreendi quando vi que desceram com dois geradores e um freezer que estava ligado – disse Miltinho.

A observação do empresário levantou um debate sobre o custo-benefício entre serviço e os valores cobrados no comércio local. Para a maioria, o empresariado deveria se conscientizar e rever a política de preços como forma de alavancar o consumo.

– O cara não é burro de comprar no depósito um latão por R$ 1,80 e na pria por R$ 8 – observou Ricardo Azevedo.

Por fim, a presidente do Convention Bureau, Maria Ines Oliveros, salientou que as preocupação devem se estender pelo ano todo.

– Temos que abraçar a campanha da ‘Melhor Temporada’, entre março e novembro. Vamos vender isso lá fora, trabalhando preços melhores – diz.

Veja o que as autoridades responderam sobre as cobranças feitas pelo fórum:

Ambulantes e fiscalização

Um dos pontos mais criticados pelos participantes do Cidade Viva, a concorrência desleal de vendedores ambulantes e food trucks foi comentada pelo secretário de Desenvolvimento da Cidade, Cláudio Bastos. Segundo ele, estão sendo decididos os últimos detalhes jurídicos para finalizar o edital de recadastramento dos ambulantes. Bastos disse que o processo deve começar já na semana que vem, no dia 16.

Com a implantação das novas regras, o secretário promete mais rigor na fiscalização dessas atividades, sobretudo naquelas realizadas na Praia do Forte. A venda de quentinhas, por exemplo, será proibida depois do recadastramento.

– Isso vai acabar. No novo cadastro, isso vai ser proibido. Também não será mais permitida a venda de moda praia e canga fora do comércio. Não vamos mais conceder licenças para isso. Ambulantes também não vão poder vender em frente a uma loja que venda o mesmo produto. São medidas para fortalecer o comércio – disse Bastos. 

Além disso, haverá exigência para que os ambulantes saiam do informalidade por meio do programa de Microempreendedor Individual (MEI).

Trânsito e ônibus de turismo

Quando se fala em alta temporada, um dos maiores gargalos diz respeito à organização do trânsito da cidade, em especial, ao fluxo de ônibus de excursão. Bairros como a Vila Nova, por exemplo, ficam intransitáveis.

Pensando nisso, a secretaria de Mobilidade Urbana já trabalha opções para tentar amenizar o problema, que é uma das principais reclamações dos debatedores do Cidade Viva Verão 2018.

O secretário Mauro Branco adiantou para a Folha que no próximo feriado da Consciência Negra serão testados novamente os acessos da cidade pelo eixo Praia do Siqueira-Perynas, por trás do Supermercado Assaí. A experiência já foi feita no último feriado prolongado de Finados.

– A gente precisa ter o controle dos veículos que precisam de controle. Esperamos ter tudo isso consolidado até o verão com um novo regramento definido em decreto. Mas não adianta tentar aplicar isso sem ter uma base empírica. Mas é um processo coletivo. Conversamos com as casas de aluguel e com hotéis – disse Branco. 

O secretário disse que o estacionamento da Avenida Wilson Mendes vai continuar e que o novo acesso será um ponmto de triagem para os ônibus.

Casas de aluguel

Demanda considerada fundamental pelos participantes do Cidade Viva, a regulamentação das casas de aluguel em Cabo Frio é o ponto que talvez esteja mais adiantado. Principal articulador do assunto na Câmara Municipal, o líder do governo Miguel Alencar (PPS) afirmou que a matéria já foi liberada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e deve entrar na pauta em regime de urgência na próxima terça-feira. Uma vez aprovada, a expectativa é pela rápida sanção do prefeito Marquinho Mendes (PMDB).

– Essa questão é uma prioridade e foi muito bem discutida com a associação das casas de aluguel da Vila Nova, a associação de hotéis. Eu estava presente junto com a secretaria de Turismo. Portanto, creio que isso vai agradar a todos – comentou Miguel.

O parlamentar disse ainda que a tramitação da mensagem acontece em paralelo com a discussão de um decreto que a prefeitura vai baixar até o fim do mês para regulamentar a entrada de ônibus de excursão. O documento vai estipular regras e taxas para os veículos de Turismo. Apesar dos esforços, ele espera um verão de aprendizado. 

– Espero melhoria em 2019. Esse verão será de adaptação – acredita.