Assine Já
terça, 22 de setembro de 2020
Região dos Lagos
20ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
zika

Casos de zika vírus caem a zero na região

Para especialistas, tempo frio na região contribuiu, mas cuidados com focos devem continuar

15 junho 2016 - 10h09Por Rodrigo Branco
Casos de zika vírus caem a zero na região

Mesmo durante o outono, prefeitura manteve tratamento larvário (Divugação prefeitura de Cabo Frio)

A diferença entre o verão e o outono na Região dos Lagos tem se mostrado maior do que apenas a brusca diferença de temperatura registrada nas últimas duas semanas. Com a proximidade do inverno, as redes municipais de Saúde vivem uma realidade bem diferente da vivida no início do ano com relação às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. No caso específico do zika vírus, o problema foi literalmente ‘zerado’.

Em Cabo Frio, Arraial do Cabo e São Pedro da Aldeia, não foram registrados casos recentes de zika. Nas duas primeiras cidades, em junho, ainda não houve sequer uma ocorrência. O mesmo ocorre com o município aldeense, cujos dados mais recentes são referentes a maio. De toda forma, a tendência de queda é clara nas três cidades.

Em Arraial, por exemplo, o pico de incidência aconteceu em fevereiro com 156 casos. O segundo mês do ano também foi o de maior número de casos em São Pedro, mas com números bem mais modestos que os registrados no município cabista (22). Enquanto isso, em Cabo Frio, das 662 anotações da doença feitas em 2016, apenas duas foram nas duas últimas semanas.

O chefe do Departamento de Vigilância em Saúde de Arraial do Cabo, Alberto Favilla Gonçalves, informou que a queda nos números de casos de zika vírus se deve ao clima que não é propício a desova da fêmea. Para que haja a desova é necessário que a temperatura seja superior a 28 graus.

Apesar do quadro favorável, o médico sanitarista Beto Nogueira, do setor de epidemiologia da secretaria municipal de Saúde de Cabo Frio, salienta que os cuidados da população, principalmente em relação aos possíveis focos com larvas, devem continuar os mesmos do período mais quente do ano.

– Todo ano acontece isso. As pessoas acham que não tem mais perigo quando esfria e diminuem os cuidados. Manter o nível de alerta é mais difícil e importante, até porque não só esfriou como choveu. E do jeito que é o tempo aqui na região, depois faz calor, que é o tempo ideal para o mosquito. A única coisa para deter essas viroses é uma vigilância constante.

RAIO-X DA SITUAÇÃO

CABO FRIO

Jan a Abr: 595
Mai: 27
Jun: 0

Total: 622
* Controle feito semanalmente

ARRAIAL

Jan: 52
Fev: 156
Mar: 63
Abr: 22
Mai: 13
Jun: 0

Total: 306

SÃO PEDRO
Jan: 19
Fev: 22
Mar: 20
Abr: 5
Mai: 0

Total: 66

Fonte: Secretarias de Saúde