Assine Já
domingo, 20 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Maria Luisa

Caso Maria Luisa: Capitania dos Portos vai ouvir Nostradamus

Depoimento é considerado fundamental para conclusão do inquérito

09 dezembro 2016 - 08h14Por Fernanda Carriço | Foto: Divulgação Capitania dos Portos
Caso Maria Luisa: Capitania dos Portos vai ouvir Nostradamus

A Capitania dos Portos mar­cou para o próximo dia 15 (quin­ta-feira) o depoimento de Nos­tradamus Pereira Coelho, 65, o condutor da lancha que decapi­tou a pequena Maria Luisa San­tana Serra, 10, no fim de semana na Praia do Forte. Nostradamus foi oficiado ontem, depois que o comandante da Capitania ouviu o condutor da banana-boat que, por sua vez, afirmou que a lan­cha conduzida por Nostradamus estava em alta velocidade.

– Ele disse que buzinou, ace­nou, fez muito barulho até que o condutor o visse. Segundo ele a lancha estava em alta velocidade e a proa estava levantada, o que diminui a visibilidade. Quando Nostradamus ouviu o alerta do condutor da banana, ele conse­guiu desviar da lancha, mas não da banana – informou o coman­dante da Capitania na edição da Folha de ontem.

O inquérito conduzido pela Capitania  tem até 90 dias para ficar pronto. Já o delegado res­ponsável pelas investigações, Renato Santos, titular da 126 DP, tem até dez dias para enviar o in­quérito policial à Justiça. Ques­tionado sobre o resultado nega­tivo do teste de alcoolemia de Nostradamus, o titular da 126ª DP informou que vai colher o depoimento do salva-vidas que postou um vídeo na rede social acusando Nostradamus de estar bêbado na hora do acidente.

– Se alguém sabe de algo que seja relevante, vai ser ouvido. Estamos procurando o sargento do bombeiro para que seja ouvi­do o quanto antes para esclare­cer isso – informou o delegado que, na hora da entrevista por te­lefone, estava nas ruas em busca do bombeiro militar.

O inquérito policial, conduzi­do pelo delegado Renato Santos, deve ser entregue à Justiça na próxima semana – quando com­pleta o prazo regimental de 10 dias. Mas isso não significa que o inquérito seja encerrado.

– Remeto o inquérito para a Justiça que, por sua vez, pode devolver para a delegacia com alguma dúvida ou qualquer ou­tra solicitação – informou.

Nostradamus Pereira Coelho chegou a ser preso, mas pagou fiança e responde ao inquérito em liberdade. Ele foi indiciado por quatro lesões corporais graves e homicídio culposo. A pena pode chegar a sete anos, mas a mesma pode ultrapassar porque existe a previsão legal de aumento de pena por ausência de socorro – no momento do acidente ele teria ar­rancado com a lancha, sem pres­tar socorro tanto a Maria Luisa quanto às outras três vítimas. Mas a lancha e o condutor foram apre­endidos na sequência por homens da Capitania dos Portos.

 

Restos mortais

Depois de cinco dias de bus­cas pelos restos mortais de pe­quena Maria Luisa Santana Ser­ra, 10, a operação foi finalizada na manhã de ontem, quando par­tes do corpo apareceram na Praia do Forte, na altura da localidade conhecida como Lajinha. Os pe­daços foram levados para o IML de Araruama.