Assine Já
quinta, 21 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
OMS

Carne processada pode causar câncer, diz Organização Mundial de Saúde

Levantamento do Fenasaúde indica queda nos planos de saúde

27 outubro 2015 - 09h33Por Nicia Carvalho

A recomendação de nutricionistas para evitar o consumo de alimentos processados ganhou mais peso ontem a partir do relatório da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (Iarc), ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS). O documento afirma que carnes como linguiça e bacon podem causar câncer colorretal.

De acordo com os relatórios, os alimentos foram inseridos em listagem do tipo 1 da agência, que acontece quando há evidências científicas de que determinado agente causa câncer em humanos. Mas além disso, o consumo deste tipo de alimento pode causar outras doenças, de acordo com informações da nutricionista Thalita Muniz, como dislipidemia (colesterol e triglicerídeos altos, toda parte de gordura no sangue), além de doenças como diabetes, hipertensão e obesidade.

– Em regra, todos os embutidos têm conservantes e corantes que são estímulo ao surgimento de várias doenças e algumas delas surgem até mais rápido do que o câncer. Costumo eliminar esses alimentos dos meus pacientes devido a uma série de contratempos – explicou.

 

Planos de saúde sofrem queda

Um levantamento realizado pela Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde) indica que o número de beneficiários de planos de saúde vem diminuindo em todo o país. Somente no terceiton trimistre, de julho a setembro, a queda foi de 0,5% em relação ao período anterior. São cerca de 236 mil pessoas a menos que deixaram de contratar este tipo de serviço.

De acordo com o estudo, o setor vem desacelerando há um ano. Em setembro do ano passado, o segmento teve crescimento de 2,75% em relação a 2013. De acordo com órgão, a queda na contratação de planos pode ser atribuída a crise econômica nacional, principalmente à retração do mercado de trabalho e do rendimento dos trabalhadores.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta terça-feira (27)