Assine Já
sábado, 26 de setembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Câmaras de vereadores

Câmara de Cabo Frio retorna na terça e Arraial após Carnaval

Cabo Frio tem Ibascaf e emendas ao orçamento pendentes

28 janeiro 2016 - 09h45
Câmara de Cabo Frio retorna na terça e Arraial após Carnaval

Nicia Carvalho

As Câmaras de Cabo Frio e de Arraial do Cabo retornam às atividades legislativas em fevereiro, sendo a primeira na próxima terça-feira, 2, e a Casa cabista somente depois do Carnaval, no dia 16. Em terras cabofrienses, ao menos duas pautas pendentes do ano passado ainda geram polêmica: a proposta do Executivo de usar o fundo previdenciário do Ibascaf para pagamento do funcionalismo e a publicação do orçamento deste ano sem as emendas, aprovadas por unanimidade em sessão extraordinária (ainda que o recesso não tenha sido decretado para que houvesse chamada ‘extraordinária’). Em Arraial, as pautas de maior discussão apesar de votadas – vetos ao orçamento e cobrança de esgoto pela Prolagos – devem voltar à tona.

– Além dos muitos projetos de lei aprovados em plenário e desprezados pelo prefeito, temos assuntos importantes em aberto, dentre os quais destaco: a lei orçamentária publicada sem as emendas analisadas em conjunto com a sociedade. Neste caso específico, defendo ação de anulação da publicação e, assim, cobrar do prefeito Alair Corrêa, as explicações com o rigor da lei – afirmou Aquiles Barreto (SD), vereador em Cabo Frio.

Além dele, conforme a Folha publicou na edição de terça-feira, os vereadores Aquiles Barreto (SD), Adriano Moreno (Rede), Jefferson Vidal (PSC) e Celso Campista (PSB) criticaram a atitude do prefeito quanto ao orçamento, que quebrando protocolos, não publicou o veto às emendas, como seria de praxe, e partiu direto para a publicação do plano financeiro sem as emendas. Na ocasião, Jefferson afirmou que os votos do legislativo “precisam ser respeitados, já que uns 12 são favoráveis”.

 

*Leia matéria completa na edição impressa da Folha desta quinta-feira (28).