Assine Já
quinta, 21 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
royalties

Câmara como aliada por recursos

Antecipação dos royalties é vista como a solução

04 julho 2015 - 08h08

Se a crise parece mais difícil de ser domada do que faz supor a ousada meta imposta pelo prefeito em meados de abril, a busca incessante por recursos é uma tônica desde que as torneiras da Agência Nacional de Petróleo (ANP) pararam de jorrar os generosos repasses mensais e trimestrais de royalties. A título de comparação, a cota referente a maio deste ano teve um decréscimo de quase 50% no valor, passando de R$ 17,3 milhões para R$ 9,6 milhões.
Desde então a aposta para a recuperação dos combalidos cofres cabofrienses está na mesma rota na qual deposita esperança boa parte dos administradores fluminenses: na rota Rio-Brasília. Mais especificamente na Resolução 15/2015, de autoria dos senadores Marcelo Crivella (PRB-RJ) e Rose de Freitas (PMDB-ES). O texto permite que o município contraia empréstimos junto aos bancos, usando como garantia, repasses futuros dos royalties, a título de antecipação, com condições de pagamento mais suaves.
Com maioria na Câmara, o Governo não teve dificuldades para aprovar permissão, mas a operação esbarra em uma dívida junto ao Banco do Brasil, por conta de outro empréstimo, este de 2013.
Sendo assim, a maior esperança, que pode se configurar em autêntica carta na manga do Governo, reside na possibilidade de venda de títulos da dívida ativa do município no mercado financeiro. A possibilidade, noticiada ontem no blog do Cabral, hospedado na página da Folha na internet, foi admitida pelo próprio Alair Corrêa na entrevista de abril.
Segundo o prefeito, somente em ativos a Prefeitura teria para receber em torno de R$ 500 milhões.
Otimista, o Governo já estima receber até o fim deste mês em seus cofres em torno de R$ 30 milhões. E mais: até 15 de agosto, outros R$50 milhões. As condições da operação, contudo, são mantidas em sigilo, bem como as negociações com os vereadores, que já teriam sinalizado favoravelmente.
O projeto – O plenário do Senado aprovou uma proposta que abriu caminho para estados e municípios tenham acesso a um socorro financeiro em momento de penúria de recursos. Os senadores permitiram que esses entes federados que tiveram perdas de arrecadação em royalties e participação especial decorrentes da exploração de petróleo possam pedir empréstimos como antecipação de receitas.
´