Assine Já
sexta, 05 de março de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
21ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 27159 Óbitos: 934
Confirmados Óbitos
Araruama 6957 183
Armação dos Búzios 3253 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7495 359
Iguaba Grande 2563 58
São Pedro da Aldeia 3575 130
Saquarema 2451 134
Últimas notícias sobre a COVID-19
Executivo

Câmara aprova pedido de informações sobre uso do Terminal dos Transatlânticos

Informações devem ser enviadas a partir de 30 dias do recebimento do documento

18 dezembro 2015 - 09h29Por Rodrigo Branco

Movimento antecipado pela Folha na edição do último sába­do, a formação do bloco supra­partidário com 13 vereadores de Cabo Frio começa a dar dor de cabeça para o governo. Ontem, com a ausência dos parlamenta­res da base aliada, foi aprovado sem dificuldades um requerimen­to pedindo ao prefeito Alair Cor­rêa o envio de cópia do termo de autorização de uso do Terminal dos Transatlânticos pela empre­sa Plataforma CDC Transporte Viagens e Turismo Ltda – ME. O chefe do Executivo tem um pra­zo de 30 dias a partir do recebi­mento do documento para enviar as informações solicitadas pelos vereadores.

Pelo acordo, firmado em no­vembro, a firma que faz o recep­tivo do píer deixará de repassar a taxa de embarque de US$ 9 por pessoa (cerca de R$ 35, na cota­ção do dólar de ontem, a R$ 3,88) até 31 de março de 2016, período que coincide com a alta tempora­da. Segundo os vereadores, com o alto movimento previsto para o verão, isso representaria uma re­núncia de receita de mais de R$ 3 milhões, valor suficiente para oxigenar os combalidos cofres da prefeitura municipal.

Segundo o vereador Fred (PDT), principal articulador da iniciativa, que logo ganhou o apoio de todos os colegas, com exceção do clã Corrêa e do líder do governo Taylor Jasmin (PRB), é preciso conhecer detalhada­mente os termos do contrato, ini­cialmente considerado lesivo às finanças municipais.

– Numa época como essa, que precisamos de arrecadação, como se pode abrir mão desses recursos? Independente de desembarcar ou não aqui, essa taxa já é embuti­da na passagem. Dependendo do número de turistas, a perda pode chegar a R$ 7 milhões. A gente sabe que o movimento de turis­tas é bom para taxistas e para o comércio. Não se trata de querer prejudicar, mas precisamos saber o teor desse contrato para a gente analisar – disse o pedetista.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta sexta-feira (18)