Assine Já
quarta, 05 de agosto de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
12ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 4670 Óbitos: 265
Confirmados Óbitos
Araruama 816 49
Armação dos Búzios 357 9
Arraial do Cabo 120 12
Cabo Frio 1488 87
Iguaba Grande 334 23
São Pedro da Aldeia 736 35
Saquarema 819 50
Últimas notícias sobre a COVID-19
Executivo

Câmara aprova pedido de informações sobre uso do Terminal dos Transatlânticos

Informações devem ser enviadas a partir de 30 dias do recebimento do documento

18 dezembro 2015 - 09h29Por Rodrigo Branco

Movimento antecipado pela Folha na edição do último sába­do, a formação do bloco supra­partidário com 13 vereadores de Cabo Frio começa a dar dor de cabeça para o governo. Ontem, com a ausência dos parlamenta­res da base aliada, foi aprovado sem dificuldades um requerimen­to pedindo ao prefeito Alair Cor­rêa o envio de cópia do termo de autorização de uso do Terminal dos Transatlânticos pela empre­sa Plataforma CDC Transporte Viagens e Turismo Ltda – ME. O chefe do Executivo tem um pra­zo de 30 dias a partir do recebi­mento do documento para enviar as informações solicitadas pelos vereadores.

Pelo acordo, firmado em no­vembro, a firma que faz o recep­tivo do píer deixará de repassar a taxa de embarque de US$ 9 por pessoa (cerca de R$ 35, na cota­ção do dólar de ontem, a R$ 3,88) até 31 de março de 2016, período que coincide com a alta tempora­da. Segundo os vereadores, com o alto movimento previsto para o verão, isso representaria uma re­núncia de receita de mais de R$ 3 milhões, valor suficiente para oxigenar os combalidos cofres da prefeitura municipal.

Segundo o vereador Fred (PDT), principal articulador da iniciativa, que logo ganhou o apoio de todos os colegas, com exceção do clã Corrêa e do líder do governo Taylor Jasmin (PRB), é preciso conhecer detalhada­mente os termos do contrato, ini­cialmente considerado lesivo às finanças municipais.

– Numa época como essa, que precisamos de arrecadação, como se pode abrir mão desses recursos? Independente de desembarcar ou não aqui, essa taxa já é embuti­da na passagem. Dependendo do número de turistas, a perda pode chegar a R$ 7 milhões. A gente sabe que o movimento de turis­tas é bom para taxistas e para o comércio. Não se trata de querer prejudicar, mas precisamos saber o teor desse contrato para a gente analisar – disse o pedetista.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta sexta-feira (18)