Assine Já
quarta, 27 de outubro de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52450 Óbitos: 2151
Confirmados Óbitos
Araruama 12382 441
Armação dos Búzios 6530 73
Arraial do Cabo 1736 93
Cabo Frio 14792 880
Iguaba Grande 5486 140
São Pedro da Aldeia 6993 289
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Câmara aprova criação da CPI das Fake News em Cabo Frio

26 maio 2020 - 13h24Por Redação
Câmara aprova criação da CPI das Fake News em Cabo Frio

A Câmara Municipal de Cabo Frio aprovou o requerimento que instaura a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Fake News no município. O objetivo é apurar notícias fraudulentas, ameaças e ataques cibernéticos dirigidos aos poderes Legislativo e Executivo, órgãos da Administração Pública direta ou indireta e membros, aos grupos vulneráveis ou à sociedade civil local que resultem em discurso de ódio, crimes ou afronta à democracia. O requerimento, de autoria do Vereador Miguel Alencar e de 1/3 dos vereadores, foi aprovado pela maioria somente com um voto contrário. 

– Fui vítima de Fake News na cidade, onde fui acusado de participar de uma ação que não estava. O grupo de empresários que estava realizando essa ação em prol do bem comum foi prejudicado. É essencial a criação da CPI neste momento, pois vemos notícias falsas circulando o tempo todo na internet. Precisamos apurar de onde estão vindo essas notícias falsas, convocando os responsáveis pelas mesmas, bem como órgãos do Executivo e do Judiciário para que possamos dar fim nessas práticas – destacou o vereador Miguel.

–  Depois do que ocorreu com o vereador Miguel, recebi denúncias de que existem rachadinhas de gabinetes envolvidas na disseminação de mentiras para virarem notícias. Estamos vendo em Cabo Frio o que tem sido investigado pelo Congresso e Senado, pessoas que recebem, dividem e repassam dinheiro de assessoria da Alerj para prejudicar outras pessoas e fazer mentiras se tornarem verdades em alguns veículos de imprensa irresponsáveis –  corroborou o vereador Jeferson Vidal.

De acordo com o Regimento Interno da Casa, as CPIs têm poder de investigação próprias das autoridades judiciais. As conclusões são encaminhadas ao Ministério Público para que promova responsabilização civil e criminal dos envolvidos.

A indicação dos vereadores que irão compor a comissão será feita pelo presidente do Legislativo. O presidente e o relator serão escolhidos pelos membros da comissão na primeira reunião agendada pelos indicados. Depois disso, os integrantes terão 90 dias, com possibilidade de prorrogação por mais 90 dias, para concluir as investigações.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.