Assine Já
quinta, 24 de setembro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7942 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1581 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 231 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 649 36
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
justiça

Calendário para campanha está mais apertado

Justiça eleitoral determina prazos mais curtos para as eleições de 2016

12 junho 2016 - 10h48Por Rodrigo Branco

 

 Com o período de campanha encurtado de 90 para 45 dias, os prazos estipulados pela Justiça Eleitoral também ficaram mais apertados este ano. A partir desta segunda, por exemplo, começa a convocação dos mesários e pes­soal do apoio logístico que vai trabalhar nas seções eleitorais.

Ainda no mês de junho, a par­tir do dia 30, deverão se afastar de suas atividades na mídia apre­sentadores, comentaristas e colu­nistas que pretendem disputar o pleito de outubro. Na região, in­clusive, alguns comunicadores já manifestaram esta intenção.

A partir de julho, o cronogra­ma do Tribunal Superior Eleito­ral começa se intensificar. No dia 2, começa o período em que vai vigorar uma série de restrições para quem exerce cargos públi­cos e pretende se candidatar. A partir desta data, ficam proibi­das nomeações e exonerações de funcionários comissionados; convocação de aprovados em concursos públicos homologa­dos até a mesma data. Também ficam vedadas propagandas de obras e programas do governo e a participação de potenciais can­didatos na inauguração de obras públicas entre outras proibições.

Já no dia 20 começa o perío­do, que se estende até 5 de agos­to, das convenções partidárias que servirão para oficializar as candidaturas a prefeito, vice-pre­feito e vereador.

Por sua vez, em 6 de agosto, inicia-se a proibição de emisso­ras de rádio e televisão de veicu­lar imagens de realização de pes­quisa ou de qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado ou em que haja manipulação de dados; veicular propaganda política ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido, coligação, seus órgãos ou repre­sentantes; além de dar tratamen­to privilegiado a candidato, par­tido ou coligação. 

* Matéria completa na edição deste fim de semana da Folha dos Lagos.