Assine Já
sexta, 23 de outubro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 9379 Óbitos: 483
Confirmados Óbitos
Araruama 1907 110
Armação dos Búzios 579 10
Arraial do Cabo 283 15
Cabo Frio 3081 168
Iguaba Grande 824 38
São Pedro da Aldeia 1446 69
Saquarema 1259 73
Últimas notícias sobre a COVID-19
novo

Cabofrienses elegem técnico da Seleção

Pesquisa aponta para o espanhol Guardiola

11 julho 2014 - 13h30
Cabofrienses elegem técnico da Seleção

Os cabofrienses querem que o veneno que humilhou o Brasil se torne antídoto. Dentre os cem entrevistados, 26% deles querem Pep Guardiola como sucessor de Felipão no comando do Brasil. Guardiola atualmente treina o Bayern de Munique, time em que jogam mais da metade dos jogadores da Alemanha. Foi ele, inclusive, que levou ao Bayern o futebol de toque de bola incessante – aquele mesmo, que destroçou a zaga do Brasil e acabou em goleada de 7 a 1, o maior vexame da história da Seleção.

O entrevistado era livre para escolher seu nome favorito, sem nenhuma opção pré-definida. O nome do espanhol foi o mais citado. Mas, logo atrás, vieram dois brazucas: Tite, com 19%, e Muricy Ramalho, com 16%.

Apesar do bom desempenho de Tite, desempregado e principal cotado na imprensa especializada à vaga, e Muricy, técnico do São Paulo, foram os estrangeiros que se destacaram na pesquisa. O cabofriense mostrou que, finalmente, chegou a hora de ter um “gringo” no comando.

– Esta Copa mostrou que nossos treinadores estão ultrapassados: Parreira, Felipão, Joel, Luxemburgo...não dá! E os novos estão em decadência, como Mano Menezes e Cuca. Acho que devemos importar – diz o ex-jogador do Vasco e colunista da Folha, Vitor Gomes, que elegeu Guardiola e Jorge Sampaoli (treinador do Chile) como seus favoritos.

O estudante de jornalismo Gabriel Bandeira também foi para Sampaoli, que foi o preferido de 5% dos entrevistados. Ele considera o argentino “moderno e claramente visionário” e mais acessível que treinadores europeus como Pep Guardiola e José Mourinho, lembrado por 8%.

– Algum técnico do Brasil seria mais do mesmo. Alguns estão se modernizando, como Tite e Cristóvão (Borges, do Fluminense), mas não confio. Preferiria arriscar um técnico estrangeiro, até para sair da zona de conforto. Direcionar uma mudança a partir de um novo perfil – analisou.

O técnico de futsal Anderson ‘Mangueira’ Lopes crê que um acerto da CBF com um técnico estrangeiro é improvável.

– A CBF é arcaica e quem co-manda nosso futebol acredita que “somos o país do futebol, penta-campeões mundiais” e isso basta – queixou-se ele.

Outros gringos foram lembrados: Simeone, do Atlético de Madrid (2%); José Pekerman, da Colômbia (2%); e Jurgen Klinsmann (Seleção dos EUA), Jupp Heynckes (aposentado), Marcelo Bielsa (Olympique de Marselha) e Petkovic (Atl. Paranaense sub-23), todos eles com 1%.

– Devemos mudar a mentalidade do futebol brasileiro urgentemente. Não podemos continuar querendo conquistar algum título sem planejar a forma em que devemos trabalhar. O Klinsmann mudaria nossa filosofia de jogo e modernizaria finalmente o nosso futebol. Precisamos melhorar as categorias de base – afirmou o ex-jogador Rúben Nicola.

E TAMBÉM:

J. Mourinho (Chelsea) – 8%

J. Sampaoli (Chile) – 5%

Felipão (permanência) – 5%

Klinsmann (EUA) – 2%

D. Simeone (Atl. Madrid) – 2%

J. Pekerman (Colômbia) – 2%

Leonardo (dirigente) – 2%

Cuca (Shandong) – 2%

Cristóvão (Fluminense) – 2%

M. Bielsa (O. Marselha) – 1%

J. Heynckes (aposentado) – 1%

Joel Santana (Angola) – 1%

Petkovic (Atl. Paranense) – 1%

Oswaldo (Santos) – 1%

Romário (ex-jogador) – 1%

Pelé (ex-jogador) – 1%

Zico (ex-jogador) – 1%

Juninho (ex-jogador) – 1%