Assine Já
quarta, 23 de setembro de 2020
Região dos Lagos
21ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Cabo Frio tem fim de ano amargo para o funcionalismo

Oito dos nove mil servidores seguem sem ter recebido o salário de outubro

27 dezembro 2016 - 07h30Por Gabriel Tinoco I foto: Arquivo Folha
Cabo Frio tem fim de ano amargo para o funcionalismo

O fim do ano se aproxima, mas os servidores de Cabo Frio permanecem na espera de rece­ber pagamentos de meses atrás. O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cabo Frio (Sindicaf), Olney Vianna, garante que mais de oito mil funcionários não receberam nem o salário do mês de outubro.

Atualmente, há 7.000 servido­res na Prefeitura de Cabo Frio, 1.300 no Instituto de Benefícios e Assistência aos Servidores Mu­nicipais de Cabo Frio (Ibascaf) e 700 na Companhia de Serviços Públicos de Cabo Frio (Comser­caf): total de 9.000 funcionários.

– Tem um monte de secreta­rias que não receberam setem­bro. Muita gente da Saúde não recebeu setembro. O próprio secretário de Fazenda confessa que tem gente que não recebeu agosto ainda. Mais ou menos mil servidores não receberam setembro ainda. Estamos neste patamar – critica Olney.

No caso da Educação, a ca­tegoria que mais se manifestou contra os atrasos no pagamen­to, além da falta de direitos e de condições de trabalho, a situa­ção não muda muito.

A diretora de imprensa do Sindicato Estadual dos Profis­sionais da Educação (Sepe La­gos), Denise Teixeira, revelou que uma parcela ínfima recebeu o salário de outubro.

– Ainda estamos na mesma. Com companheiros sem o salá­rio de setembro ainda. Alguns receberam outubro, mas o nú­mero não corresponde a 30% dos profissionais – afirma.

Em novembro, o Sepe chegou a organizar uma vaquinha para ajudar os servidores com difi­culdades. Nas manifestações, os professores arrecadavam ali­mentos para os mais necessita­dos. O departamento jurídico do sindicato entrou com diver­sas ações contra o prefeito Alair Corrêa (PP) ao longo do ano.

A Saúde também passa pelo mesmo problema da Educação. A reabertura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Burle também gerou po­lêmica entre os servidores, que afirmaram que não havia equipa­mento nem nas outras unidades.

Segundo o presidente do Sindsaúde, Gelcimar Almeida, o Mazinho da Saúde, muitos fun­cionários ainda aguardam o de­pósito de setembro.

– Uma média entre 150 a 200 pessoas não receberam nem o pagamento de setembro. O sa­lário de outubro foi pago ape­nas para médicos contratados e alguns concursados – revela ele, que confirmou que a pasta tem 2500 funcionários.

Já os coveiros de Cabo Frio ti­veram os pagamentos deposita­dos na última sexta-feira. A ca­tegoria aguarda apenas pelo 13º.