Assine Já
quinta, 24 de setembro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7942 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1581 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 231 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 649 36
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
construção

Cabo Frio terá ‘Esplanada das Secretarias’

Análise do solo em terreno desapropriado de salina no Guarani já está em andamento

25 setembro 2014 - 14h39Por Rodrigo Branco|Foto: Johnny Costa
Cabo Frio terá ‘Esplanada das Secretarias’

Uma extensa área, de mais de 100 mil metros quadrados, em um local distante e de improvável ocupação, onde boa parte do poder político está concentrada. Poderia ser a descrição de Brasília, a capital federal, situada no inóspito cerrado brasileiro, mas é o conceito do futuro Centro Administrativo de Cabo Frio, uma espécie de ‘Esplanada das Secretarias’, a ser construído no Guarani, a menos de um quilômetro do aeroporto da cidade.

Além de todas as pastas do Poder Executivo municipal, o complexo abrigará a nova Câmara dos Vereadores. Pelo menos, a princípio, não está prevista a mudança da sede da prefeitura para o local, que fica nas proximidades da Avenida Luiz Lindenberg.

Segundo as pastas de Desenvolvimento da Cidade e Obras, responsáveis pela elaboração e execução do projeto, respectivamente, as obras ainda se encontram na sua etapa inicial. Como o terreno desapropriado pela prefeitura fica nas Salinas Ponta da Costa, portanto inicialmente inadequado para construções, um amplo trabalho de  estudo e preparação do solo está sendo feito. Segundo o secretário municipal de Obras, Paulo Castro, o laudo sairá em aproximadamente 10 dias.

– Ainda está muito no início. Esse é um estudo técnico de engenharia e geologia que vai nos dizer o quanto temos que aprofundar, escavar o solo. Somente após ele, saberemos qual o valor a ser gasto. Trata-se de uma salina de mais de 80 anos. É preciso fazer a compactação do solo, verificar a umidade, a pressão, enfim, são vários fatores que influenciam – explicou.

O discurso vai ao encontro do que declara Gustavo Rosa, secretário municipal de Desenvolvimento da Cidade, responsável pelo projeto arquitetônico do conjunto. Segundo ele, está sendo feito um levantamento para saber a quantidade de servidores alocados em cada secretaria a fim de definir quantos imóveis serão necessários para acomodá-los no novo local. Ele afirma que, somente a partir disso, será possível ter uma estimativa de custos.

Além disso, um historiador chegou a ser contratado para outro projeto, considerado uma das ‘meninas dos olhos’ do prefeito Alair Corrêa: a reconstituição da Praça Porto Rocha dos anos de 1950 e 1960.

– Pretendemos dar uso ao local durante todo o dia. Depois do expediente, as pessoas poderão frequentar os bares e restaurantes do lugar. Também recriaremos o antigo Hotel Colonial para que funcione como tal e não como secretaria. Trata-se de um resgate da história da cidade – afirmou Rosa.