Assine Já
sexta, 14 de agosto de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
17ºmin
Alerj
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 5213 Óbitos: 304
Confirmados Óbitos
Araruama 846 62
Armação dos Búzios 384 9
Arraial do Cabo 132 12
Cabo Frio 1721 100
Iguaba Grande 420 26
São Pedro da Aldeia 796 44
Saquarema 914 51
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio Turismo

Cabo Frio não tem o que comemorar no Dia Internacional do Turismo

Crise atrapalha a data celebrada neste domingo (27)

27 setembro 2015 - 09h08

O município de Cabo Frio não tem muito o que comemorar nes­te 27 de setembro, Dia Mundial do Turismo. Em crise anunciada desde março último, o governo atual não tem nehuma políti­ca de turismo e sequer recursos para a secretaria municipal. A cidade não tem participado das feiras e eventos do setor, assim como nada é feito para a divul­gação do destino. O secretário Dirlei Pereira, no entanto, diz que “se vira nos 30” para tocar a missão e a única boa notícia que tem não é tão nova assim. Dirlei Pereira não sabe quando a obra do Centro de Convenções terá início, mas anuncia a data de inauguração.

Folha – Como avalia o turis­mo de Cabo Frio e, na sua opi­nião, o que motivou a melhor classificação do destino junto à Embratur?

Dirlei - Pela exuberância das nossas belezas naturais e pela riqueza da nossa história, que se confunde com a história do Bra­sil, o nosso turismo tem tudo para se transformar na grande força da economia local, gerando renda, emprego e oportunidades em todos os setores econômicos da cidade. Sobre a elevação de Cabo Frio à elite do turismo nacional, penso que foram vários os fato­res. Há coisas que boas que só acontecem comigo... Em menos de 30 dias na secretaria, conse­guimos, com a ajuda de empre­sários, trazer 120 jornalistas es­pecializados em turismo vindos de toda parte do país. Dentre eles um cidadão chamado Junior Coimbra. Pois bem, dias depois esse homem, que se tornou meu amigo, assumiu a importante se­cretaria nacional de políticas pú­blicas do Ministério do Turismo. Coisa de Deus!

Folha – Mesmo sem recur­soso que tem sido possível fa­zer diante da secretaria?

Dirlei – Sem um centavo de dinheiro público, com meus pró­prios recursos, me tornei um ver­dadeiro caixeiro viajante, baten­do de porta em porta, mostrando a importância de Cabo Frio. Foi assim que, em menos de 4 me­ses, já fui recebido pelo ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves, pelo presidente da Em­bratur, e, no Estado, pelo menos uma vez por semana mantenho reuniões no Rio com técnicos e também com o secretário estadu­al, com o presidente da TurisRio, entre outros, sempre na busca da melhoria do nosso turismo.

Folha – Já existe planeja­mento para o verão?

Dirlei - Internamente nossos técnicos têm se reunido com as secretarias de Cultura e de Eventos para discussão do perfil dos eventos que deveremos ter no verão. E também criamos o “Cabo Frio +” para uma ampla discussão com a sociedade sobre o verão que se aproxima.

Folha – Como a secretaria está prospectando turistas do país e do exterior?

Dirlei - Estamos afinados com a Embratur, que tem escritórios em várias partes do mundo. Há um mês, no Rio, com a presença dos representantes de todos es­ses escritórios, defendemos que as cidades da Costa do Sol sejam contempladas pelas campanhas desenvolvidas pela Embratur no exterior. Estou muito otimista.

Folha – Afinal, o Centro de Convenções vai sair?

Dirlei - Não só vai sair, como já tem data de inauguração. Há 20 dias estive no Rio com o se­cretário estadual de Turismo Nilo Sérgio Félix. Ele me garan­tiu que até julho de 2017 o Cen­tro estará inaugurado.

 

*Leia a entrevista completa na edição impressa deste fim de semana (26 e 27)