Assine Já
quinta, 04 de março de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26995 Óbitos: 930
Confirmados Óbitos
Araruama 6793 183
Armação dos Búzios 3253 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7495 359
Iguaba Grande 2563 58
São Pedro da Aldeia 3575 126
Saquarema 2451 134
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio Turismo

Cabo Frio não tem o que comemorar no Dia Internacional do Turismo

Crise atrapalha a data celebrada neste domingo (27)

27 setembro 2015 - 09h08

O município de Cabo Frio não tem muito o que comemorar nes­te 27 de setembro, Dia Mundial do Turismo. Em crise anunciada desde março último, o governo atual não tem nehuma políti­ca de turismo e sequer recursos para a secretaria municipal. A cidade não tem participado das feiras e eventos do setor, assim como nada é feito para a divul­gação do destino. O secretário Dirlei Pereira, no entanto, diz que “se vira nos 30” para tocar a missão e a única boa notícia que tem não é tão nova assim. Dirlei Pereira não sabe quando a obra do Centro de Convenções terá início, mas anuncia a data de inauguração.

Folha – Como avalia o turis­mo de Cabo Frio e, na sua opi­nião, o que motivou a melhor classificação do destino junto à Embratur?

Dirlei - Pela exuberância das nossas belezas naturais e pela riqueza da nossa história, que se confunde com a história do Bra­sil, o nosso turismo tem tudo para se transformar na grande força da economia local, gerando renda, emprego e oportunidades em todos os setores econômicos da cidade. Sobre a elevação de Cabo Frio à elite do turismo nacional, penso que foram vários os fato­res. Há coisas que boas que só acontecem comigo... Em menos de 30 dias na secretaria, conse­guimos, com a ajuda de empre­sários, trazer 120 jornalistas es­pecializados em turismo vindos de toda parte do país. Dentre eles um cidadão chamado Junior Coimbra. Pois bem, dias depois esse homem, que se tornou meu amigo, assumiu a importante se­cretaria nacional de políticas pú­blicas do Ministério do Turismo. Coisa de Deus!

Folha – Mesmo sem recur­soso que tem sido possível fa­zer diante da secretaria?

Dirlei – Sem um centavo de dinheiro público, com meus pró­prios recursos, me tornei um ver­dadeiro caixeiro viajante, baten­do de porta em porta, mostrando a importância de Cabo Frio. Foi assim que, em menos de 4 me­ses, já fui recebido pelo ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves, pelo presidente da Em­bratur, e, no Estado, pelo menos uma vez por semana mantenho reuniões no Rio com técnicos e também com o secretário estadu­al, com o presidente da TurisRio, entre outros, sempre na busca da melhoria do nosso turismo.

Folha – Já existe planeja­mento para o verão?

Dirlei - Internamente nossos técnicos têm se reunido com as secretarias de Cultura e de Eventos para discussão do perfil dos eventos que deveremos ter no verão. E também criamos o “Cabo Frio +” para uma ampla discussão com a sociedade sobre o verão que se aproxima.

Folha – Como a secretaria está prospectando turistas do país e do exterior?

Dirlei - Estamos afinados com a Embratur, que tem escritórios em várias partes do mundo. Há um mês, no Rio, com a presença dos representantes de todos es­ses escritórios, defendemos que as cidades da Costa do Sol sejam contempladas pelas campanhas desenvolvidas pela Embratur no exterior. Estou muito otimista.

Folha – Afinal, o Centro de Convenções vai sair?

Dirlei - Não só vai sair, como já tem data de inauguração. Há 20 dias estive no Rio com o se­cretário estadual de Turismo Nilo Sérgio Félix. Ele me garan­tiu que até julho de 2017 o Cen­tro estará inaugurado.

 

*Leia a entrevista completa na edição impressa deste fim de semana (26 e 27)