Assine Já
sexta, 03 de julho de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 325 Confirmados: 2946 Óbitos: 179
Suspeitos: 325 Confirmados: 2946 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 260 584 40
Armação dos Búzios X 246 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 922 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 32 443 16
Saquarema 9 471 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Sessão

Cabo Frio é homenageada e ganha aplausos na Alerj

Sessão solene no Rio parabeniza ícones da cidade às vésperas dos 400 anos de fundação

12 novembro 2015 - 09h51Por Rodrigo Branco

Em tempos de crise e protes­tos, uma noite emocionante e de resgate do orgulho por uma his­tória rica e secular. Às vésperas da celebração do quarto centená­rio, Cabo Frio teve a unanimida­de dos aplausos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, que destinou uma sessão solene para homenagear a cidade.

O ex-craque Leandro, do Fla­mengo e da Seleção Brasileira, e o poeta Victorino Carriço (in memoriam), por meio dos seus familiares, receberam anteontem a Medalha Tiradentes, a maior comenda do Estado do Rio de Ja­neiro. A paróquia Nossa Senhora da Assunção, que também com­pleta 400 anos em 2015, ganhou moção de aplausos, entregue ao padre Marcelo Chelles. O Coral Cantavento da Ferlagos também foi homenageado.

Aproximadamente 60 pessoas de Cabo Frio e Arraial do Cabo foram em caravana à solenidade e aplaudiram efusivamente os homenageados. A filha de Victo­rino, a colunista da Folha, Ercília Carriço Porto, fez um comovente discurso de agradecimento e foi ovacionada no plenário da Alerj.

– Dedico a todos da família Carriço essa importante medalha Tiradentes, que me foi entregue ontem pelo deputado Janio Men­des na Alerj, em homenagem ao meu pai, em emocionante e linda cerimônia – publicou, ontem, em sua conta no Facebook.

Também presente à homena­gem, o músico Junior Carriço, neto de Victorino, celebrou o fato da obra do ‘Santinho’ ser reco­nhecida mesmo fora da região.

– Senti imenso orgulho de ver a obra de Carriço chegando a lu­gares inesperados, a celebração de sua introspecção transformada em Hino e seus versos chegando longe e levantados como bandei­ra pelos que estavam na Alerj. E dizendo de peito aberto: “Fo­rasteiros não há forasteiros, pois nessa terra todos são iguais”. Esse verso é uma medalha levada por cada cabofriense – comentou Junior, em alusão a um dos prin­cipais poemas de Victorino.

Por sua vez, Leandro, que atuou no Flamengo, entre 1979 e 1990, e na Seleção, durante a Copa do Mundo da Espanha, em 1982 recebeu sua comenda dian­te de um plenário cheio e empol­gado, como nos tempos em que entortava marcadores no grama­do do Maracanã. O ‘Peixe Frito’, como o ex-atleta rubro-negro é conhecido, também foi prestigia­do por amigos e parentes numa autêntica noite de gala.