Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
greve geral

Cabo Frio corre risco de ter greve geral

Caso não recebam salários atrasados, outras categorias ameaçam parar além de Saúde e Educação

12 julho 2016 - 09h48Por Rodrigo Branco

Uma situação que já está bastante complicada corre o risco de piorar, caso a Prefeitura de Cabo Frio não pague hoje, com cinco dias de atraso, os salários relativos ao mês de junho para diversas categorias da administração municipal. Algumas delas já ameaçam paralisar os serviços se o dinheiro não bater na conta nas próximas horas.

Entre os servidores que ainda não receberam estão coletores da Comsercaf, agentes e funcionários da Postura, coveiros e guardas municipais que, até então, não estavam convivendo com os atrasos. Parados há algum tempo, funcionários da Saúde e da Educação, em diferentes graus, seguem sem receber salários e direitos trabalhistas em dia.

Em resposta à reportagem, a Prefeitura informou que espera reverter na Justiça o bloqueio de suas contas para começar o pagamento dos servidores e, desta forma, evitar o risco de uma greve geral e, consequentemente, de um colapso no serviço público municipal.

O arresto de mais de R$ 10 milhões foi obtido na sexta-feira pelo Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe) para o pagamento dos funcionários com o salário em atraso. Pela decisão, como só havia R$ 2,7 milhões em caixa na ocasião, todo dinheiro que cair nos cofres municipais até completar o valor estipulado será destinado ao pagamento dos professores de pessoal de apoio.

Na internet, o prefeito Alair Corrêa acusou o Sepe de querer tratamento privilegiado em relação aos outros servidores.

“Conversaremos com a juíza informando-a que os salários dos professores tem apenas cinco dias de atraso, enquanto outros servidores ainda não receberam maio, além de coletores, coveiros, guardas e aposentados que também não receberam”, escreveu.

Em nota, o sindicato rechaçou o chamou de ‘tentativa de dividir os trabalhadores’ .

“A educação tem verba própria (Fundeb) e que só esse mês já entraram mais de R$ 9 milhões. É importante ressaltar também que, o processo que foi favorável à categoria, tramita na Justiça desde outubro do ano passado”, justifica.

Confira como está a situação por categoria:

EDUCAÇÃO

Entre outras reivindicações, cobra salários atrasados de junho e em alguns casos de maio e até abril. Faz movimento unificado com a Saúde. Está em greve desde 13 de junho.

SAÚDE

Falta receber junho, adicional de insalubridade, adicional noturno, última parcela do 13º de 2015 e vale-transporte. 60% da categoria estão parados, segundo sindicato. Faz movimento unificado com Educação.
Em greve desde 30 de maio.

COLETORES
DA COMSERCAF

Mês de junho atrasado e sem restituição do Ibascaf. Se pagamento não for feito, categoria ameaça parar ainda hoje.

GUARDA MUNICIPAL

Mês de junho atrasado. Agentes trabalham normalmente. Reunião com prefeito agendou pagamento para hoje. Caso isso não ocorra, categoria se reunirá para decidir o que será feito.

POSTURA

Mês de junho e outros direitos atrasados. Categoria promete manifestação para amanhã e adesão à greve geral a partir de quinta-feira, caso dívida não seja quitada.

COVEIROS

Sem pagamento de junho. Aguardam salário para hoje. Caso isso não aconteça, categoria pode parar por um dia ou aderir à greve geral.