Assine Já
quinta, 13 de maio de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 37918 Óbitos: 1447
Confirmados Óbitos
Araruama 9612 300
Armação dos Búzios 4692 57
Arraial do Cabo 1317 69
Cabo Frio 10088 529
Iguaba Grande 3759 93
São Pedro da Aldeia 5248 224
Saquarema 3202 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
DESPENCOU!

Cabo Frio calcula perda de R$ 28 milhões em arrecadação durante a pandemia

Secretaria de Fazenda cobra ajuda federal e estadual para botar as finanças em ordem

26 maio 2020 - 19h46Por Rodrigo Branco
Cabo Frio calcula perda de R$ 28 milhões em arrecadação durante a pandemia

A Secretaria de Fazenda de Cabo Frio calculou em R$ 28 milhões a perda de arrecadação no município desde o começo da pandemia de Covid-19, em março. O montante leva em conta as transferências de recursos por parte dos governos federal e estadual e também a arrecadação própria, por meio dos impostos e taxas municipais.

De acordo com a secretaria, a paralisação das atividades econômicas no município, Estado e país, em função da pandemia, provocaram uma “devastadora redução da arrecadação do município de Cabo Frio”.

O levantamento financeiro feito pela pasta responsável pelas finanças do município aponta que, em dois meses, o município deixou de receber R$ 16,5 milhões, somente de repasses constitucionais recebidos pelo Banco do Brasil, como o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), royalties do petróleo, Super Simples, e Fundo de Participação dos Municípios (FPM), entre outros.

Na última quinta-feira (21), por exemplo, entraram nos cofres do município R$ 6,8 milhões em royalties, valor 30% menor do que o recebido do Tesouro Nacional em abril. O montante é o mais baixo desde julho de 2016, quando Cabo Frio teve direito a pouco mais de R$ 6 milhões. O valor despencou em função da queda do preço do barril de petróleo em março, mês de referência para o cálculo da compensação paga este mês. A crise no mercado de óleo e gás reflete a crise provocada pelo novo coronavírus.

Com relação ao Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços  (ICMS), recebido do governo do estado, a queda foi de R$ 9,5 milhões para R$ 6,8 milhões, de março para abril.  Já de receitas próprias, a exemplo de IPTU, ITBI, ISS e taxas, a perda média calculada foi de 50%, mas em declarações recentes do secretário Clésio Guimarães e do prefeito Adriano Moreno (DEM), o ‘tombo’ foi estimado em 70%.

Em texto divulgado à imprensa, a secretaria classifica a atual situação econômica como ‘tempestade’ e cobra ajuda dos governos estadual e federal. Um pacote de ajuda financeira para estados e municípios ainda depende da sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para ser liberado. A partir dele, Cabo Frio vai ter direito a cerca de R$ 22 milhões, em quatro parcelas, entre recursos diretos; perdão e renegociação de dívidas.

“Urge o auxílio da área estadual e federal para que não só Cabo Frio, mas a maioria dos demais municípios do estado do Rio de Janeiro, que sofrem com o impacto do Covid-19, possam se reestabelecer o quanto antes”, diz o texto divulgado pela secretaria.

Apesar da queda acentuada, de acordo com o Portal do Tesouro Nacional, Cabo Frio já recebeu R$ 76,2 milhões, este ano, contando o Fundo de Participação dos Municípios (FPM); o Fundeb; e os royalties, entre outros.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.