Assine Já
domingo, 20 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Cabo Frio é quarta cidade mais violenta do estado em Atlas da Violência 2017

Pelo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no ranking geral do país, cidade ocupa a 49ª colocação

07 junho 2017 - 07h51Por Rodrigo Branco I Foto: Divulgação PM
Cabo Frio é quarta cidade mais violenta do estado em Atlas da Violência 2017

O que era apenas uma sen­sação passou a ser comprovado pelos números. O Atlas da Vio­lência 2017, divulgado na se­gunda-feira, aponta Cabo Frio em quarto lugar entre as cida­des mais violentas do Estado do Rio. Outro município da região, Araruama, ficou em terceiro. As duas cidades ficaram atrás ape­nas de Queimados e Itaguaí, na Baixada Fluminense, local com histórico de alta criminalidade.

O estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) leva em conta o número de ho­micídios entre 2005 e 2015 e a população de municípios com mais de 100 mil habitantes. Na década em questão, Cabo Frio contabilizou 105 homicídios. Com uma população de 208.451 habitantes, a cidade teve um ín­dice de 50,4 homicídios para um grupo de 100 mil habitantes.

No mesmo período, Araruama, com 122.865 habitantes, teve 66 homicídios, o que resulta em um índice de 53,7 homicídios para um grupo de 100 mil habitantes. Na escala nacional, o município ocupa a 43ª colocação, enquanto Cabo Frio está na 49ª. O levanta­mento utilizou dados repassados pelo Ministério da Saúde e de registros policiais, publicados no 10º Anuário Brasileiro de Segu­rança Pública, do FBSP.

O comandante do 25º Ba­talhão da Polícia Militar (25º BPM), tenente-coronel André Henrique de Oliveira, assumiu o posto apenas em janeiro de 2016, mas está sendo obrigado a lidar com altos índices de crimi­nalidade desde então. Somente este ano, por exemplo, foram 49 homicídios apenas até abril, se­gundo o Instituto de Segurança Pública (ISP).

Como em outras ocasiões, o comandante enfatizou a relação entre as mortes violentas e o trá­fico de drogas na região. Ele ci­tou as disputas internas e exter­nas de facções e retaliações por dívidas nas bocas de fumo como os principais motivos dos homi­cídios nesses casos. Por causa disso, André Henrique enfatiza que um dos principais esforços da tropa para frear os índices é retirar as armas de circulação. Ele enalteceu ainda o trabalho conjunto com a Polícia Civil.

– Estamos trabalhando mui­to para diminuir a sensação de impunidade. Trocamos informa­ções com a Civil e os resultados estão aparecendo. Em Arraial, a doutora Flávia conseguiu dois mandados de prisão, o delega­do Henrique (de Araruama) e o delegado Renato (de Cabo Frio) também fizeram prisões impor­tantes. O trinômio é apreensão de armas, prisão dos marginais e trabalho preventivo contra as drogas – comentou.

Esta semana, a reação contra a criminalidade conta ainda com a operação ‘Green Week’ (‘Se­mana Verde’, em tradução livre), da PM, que pretende diminuir os índices de criminalidade e colo­cá-los dentro das metas estabele­cidas pelo batalhão, ou seja, para tirar os indicadores do ‘vermelho’ e colocá-los no ‘verde’. Para isso, o comandante afirma que colo­cou 30 homens a mais no patru­lhamento noturno esta semana, nos sete municípios da região, incluindo Cabo Frio e Araruama.