Assine Já
sexta, 07 de maio de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
18ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
http://www.alerj.rj.gov.br/
TEMPO REAL Confirmados: 37036 Óbitos: 1405
Confirmados Óbitos
Araruama 9482 290
Armação dos Búzios 4582 57
Arraial do Cabo 1313 69
Cabo Frio 9818 517
Iguaba Grande 3712 91
São Pedro da Aldeia 5088 214
Saquarema 3041 167
Últimas notícias sobre a COVID-19
SAÚDE

Cabo Frio alerta para incidência de mosquito da dengue no verão

Calor e chuva costumam aumentar os focos de infestação

13 dezembro 2019 - 18h41Por Redação
Cabo Frio alerta para incidência de mosquito da dengue no verão

Com a aproximação do verão, é importante ficar atento às medidas preventivas contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika, febre amarela e chikungunya. O inseto costuma se proliferar durante altas temperaturas atreladas às precipitações de chuva, o que tem sido constante em Cabo Frio nas últimas semanas.

Segundo a Coordenadoria de Vigilância em Saúde Ambiental, esse é o período do ano que o mosquito intensifica o ciclo de reprodução, favorecido pelas condições climáticas, por isso torna-se necessário reforçar a campanha para combater possíveis focos de infestação do inseto.

“O mosquito se prolifera durante todo o ano, mas em períodos quentes é preciso cuidado redobrado. A reprodução triplica, e até quadriplica. Água parada e clima quente e úmido favorecem e muito a aceleração da reprodução do mosquito”, explicou a coordenadora da pasta, Andreia Nogueira.

Ainda segundo a coordenadora, atualmente, a principal forma de prevenção e controle do Aedes aegypti se dá através da eliminação de possíveis focos de forma individual e coletiva, sempre visando a participação comunitária e o estimulo de estruturação de políticas efetivas para o saneamento básico ambiental.

Andreia ressalta que as a ações da Vigilância em Saúde Ambiental acontecem durante todo o ano. Os agentes do setor percorrem constantemente os bairros da cidade atuando no controle e focos do mosquito e os criadouros predominantes.

“Este ano a Vigilância realizou um georreferenciamento aéreo, voo de helicóptero junto com a Base Aérea Naval, para mapear casas abandonadas com piscinas não tratadas, charcos (áreas com alagamentos por chuvas), caixas d’água sem tampas e pontos estratégicos como: ferro velhos, praças e etc”.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.