Assine Já
segunda, 02 de agosto de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46523 Óbitos: 1889
Confirmados Óbitos
Araruama 11454 362
Armação dos Búzios 5517 58
Arraial do Cabo 1588 87
Cabo Frio 12706 765
Iguaba Grande 4804 116
São Pedro da Aldeia 6205 275
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Búzios: Investimentos na esteira da estabilidade

Prefeito diz que clima de indefinição prejudica cidade e indica planos para obras

07 junho 2019 - 09h25
Búzios: Investimentos na esteira da estabilidade

Enquanto se desenrola o imbróglio judicial sobre o comando da Prefeitura de Búzios, com sucessivas trocas promovidas pela Justiça na chefia do Executivo, o prefeito em exercício Henrique Gomes afirma estar se preparando para retomar os investimentos na cidade. Ele afirma que o principal problema é justamente a insegurança causada pelas trocas no cargo, e pede estabilidade para colocar o município em uma situação de normalidade.

– O maior problema que temos hoje é justamente essa instabilidade. Espero que isso acabe porque o povo não merece essa situação instável. Quem sofre é a população. Estou me programando para realizar obras e investimentos. Esperamos que essa estabilidade chegue o mais rápido possível – disse ele.

Henrique Gomes disse em entrevista à Folha que começará uma série de reformas em escolas. Segundo ele, as unidades escolas estão em “estado precário”.

– Vamos começar em 15 a 20 dias as reformas em algumas escolas que estão em estado precário. As escolas estão sucateadas por falta de investimento – anunciou.

O prefeito em exercício assumiu o cargo pela quinta vez no último dia 13 de abril, por determinação da Justiça após o afastamento do prefeito André Granado. Na ocasião ele fez uma exoneração geral dos servidores. Segundo o prefeito em exercício, a máquina administrativa 
estava inchada.

– Fizemos essa exoneração geral para tomar pé da situação, e também porque existia um inchaço muito grande da máquina administrativa. Esse inchaço estava inviabilizando os investimentos em obras, nas escolas e nas unidades de saúde – afirmou.

No último dia 23, o prefeito André Granado anunciou que tinha conseguido uma liminar para retornar ao cargo. Horas depois a Justiça deu uma nova decisão para Henrique Gomes continuar no cargo. A decisão do juiz Raphael Baddini atende a um pedido do Ministério Público Estadual (MP-RJ) para que André fosse definitivamente afastado da prefeitura, e cabe recurso.

Para garantir que a sentença fosse cumprida, o juiz chegou a expedir um mandado de remoção de André Granado e seu grupo de assessores do prédio da Prefeitura. Os bastidores da Prefeitura dão conta de que a tentativa de André de reassumir o cargo causou confusão nas repartições públicas, pois os servidores não sabiam a quem estavam subordinados, até a Justiça tornar oficial que Henrique Gomes seguia no comando.

Agora Henrique Gomes planeja uma obra no Hospital Municipal Rodolfo Perissé. Segundo ele, o centro cirúrgico ficou molhado na última chuva por causa de infiltrações.

– Estamos fazendo um paliativo para evitar as infiltrações, e mais para frente teremos uma obra completa no hospital. Outra mudança foi na policlínica, que está atendendo a partir das 6h para evitar filas. Além disso, estamos entrando nos bairros com manutenções e reparos. Tem muita coisa boa por vir. Queremos essa estabilidade para realizar o desejo dos moradores – afirmou ele.

Nas ruas, o vai e vem no comando da Prefeitura de Búzios está irritando os moradores. Para eles, a constante troca de prefeitos está prejudicando os serviços.

Os relatos giram em torno da manutenção de ruas e estradas, coleta de lixo, varrição de ruas e problemas em escolas e unidades de saúde. De acordo como vendedor de coco Mário Adriano, “os serviços estão sendo feitos, mas não como antes”.

Para a moradora de José Gonçalves Kátia Macedo, a cidade está precisando de uma “recauchutagem”.

– A coleta de lixo às vezes está demorando a ser feita e acaba juntando mosquitos em excesso. A gente está precisando de uma pessoa só (no comando da cidade) e que saiba fazer o negócio. É uma cidade de veraneio, que o pessoal vem de fora, e está precisando mesmo de uma recauchutagem, uma melhora geral – declarou ela.

– A gente vai deitar e não sabe quem vai estar prefeito quando acordar no dia seguinte. A vergonha maior é porque a Justiça não toma uma posição definitiva – completa Idário Vieira, que trabalha em uma agência de turismo no Centro e reclama da diminuição no movimento de clientes.

Segundo a comerciante Erenita Alvarez do Amaral, o preço da incerteza política também está sendo cobrado nas escolas. Ela reclama da qualidade da merenda fornecida na Escola Municipal Darcy Ribeiro, que atende Ensino Médio, onde estuda a filha dela de 12 anos.

– A situação está precária. A limpeza está uns 70% e a educação também está precária. A alimentação para as crianças todo dia é repetida e falta ventilador. Quando tem é um ventilador em uma sala para 40 alunos. Além disso eu também sinto falta de lixeiras nas ruas. E os turistas reclamam muito da falta de banheiros públicos – faz a lista.

Improbidade administrativa em decisão sobre concurso

André Granado já havia sido afastado do cargo no ano passado. A Justiça entendeu ter havido ato de improbidade administrativa quando ele suspendeu o concurso público de 2012, ao assumir a prefeitura no início do ano seguinte. Em vez de aprovados no certame, foram contratados funcionários temporários que tiveram os contratos renovados seguidamente entre 2013 e 2015. A prática levou o Ministério Público a ajuizar uma ação 
civil pública.

Durante o afastamento dele, o vice, que assumiu a chefia do Executivo, convocou uma coletiva de imprensa no dia 15 de outubro anunciando mudanças no governo municipal. Entre as medidas anunciadas estava o cancelamento de todas as nomeações de funcionários em cargos comissionados e a revisão de contratos firmados pela Prefeitura.

Entre as medidas adotadas também esteve a redução de horas extras dos funcionários. De acordo com o comunicado, o objetivo era cortar gastos.
As medidas anunciadas por Henrique Gomes provocaram um rompimento nas relações entre o vice-prefeito e o então prefeito afastado. André Granado conseguiu uma liminar no dia 27 de outubro e voltou ao cargo. Ao tomar posse novamente, anulou as ações feitas por Henrique Gomes.