Assine Já
sábado, 26 de setembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
bueiros

Bueiros entupidos preocupam para temporada de chuvas

Água suja mina de caixas de esgoto e causa transtorno a moradores

14 dezembro 2016 - 07h54Por Texto e foto: Rodrigo Branco
Bueiros entupidos preocupam para temporada de chuvas

Nos últimos três meses, o por­teiro Valtencir Dias tem cumpri­do o ritual de pegar mangueira e vassoura para lavar pelo menos uma vez por dia a calçada do prédio em que trabalha, na Rua Rui Barbosa, em Cabo Frio. Tudo porque a água suja teima em minar da caixa de esgoto em frente ao edifício. O trabalho tem efeito temporário, pois logo a imundície novamente toma conta do passeio público, para desgosto de moradores, pedes­tres e comerciantes do local, que fica em uma das regiões mais va­lorizadas da cidade.

O síndico do prédio, Jerônimo Valim Fernandes, afirma que já recorreu à Prefeitura para tentar desobstruir a caixa, mas foi in­formado que as secretarias res­ponsáveis pelo trabalho estão em greve. Como paliativo, o con­domínio já desembolsou mais de R$ 100 para que caminhões fizessem a sucção dos dejetos, mas dois dias do serviço, o pro­blema retornou. Um caminhão da Prolagos também já realizou o trabalho, mas o resultado foi o mesmo. Por causa das lavagens mais frequentes na calçada, o valor da conta de água do con­domínio aumentou em 20%.

–Isso traz mau cheiro, atrai mosquito, fora o risco de alguma criança pisar nesse esgoto. Mes­mo se tratando de um serviço que o município teria que fazer, é nossa obrigação cuidar da via pú­blica. Eu me sinto como se tives­se retroagido ao século passado, com esgoto correndo a céu aber­to – desabafa ele, que tem que conviver com as cobranças dos condôminos por uma solução.

Dona de um salão de beleza que funciona no edifício, a em­presária Janaína Martins con­firma os transtornos e constran­gimentos para funcionários e clientes. Por causa do odor, que fica ainda pior em dias de sol forte, o estabelecimento precisa ficar fechado e com o ar condi­cionado ligado.

– Tenho que avisar às minhas clientes para tomarem cuidado para não pisar no esgoto, pois muitas delas saem descalças de­pois de fazerem as unhas. Como comerciante, isso está me atra­palhando muito – reclama.

Ironicamente, moradores apontam que outro problema crônico no local – um enorme buraco que ficou mais de um mês aberto na esquina com a Avenida Nilo Peçanha – contri­buiu para o entupimento das tu­bulações subterrâneas, uma vez que, durante o período, a cratera foi sinalizada com pedaços de madeira e pedras.

Apesar disso, o problema está longe de ser isolado. Conhecida por encher após cada chuva for­te, a Avenida Nilo Peçanha tem diversos pontos onde bueiros e caixas de passagem estão entu­pidas, impedindo o escoamento da água. A situação preocupa com a proximidade do verão e as suas características tempesta­des. Um bueiro do tipo boca de lobo, na esquina com a Rua Flo­rismundo Batista Machado, cha­ma a atenção pela quantidade de areia acumulada.

– Sempre que começa a cho­ver forte, a gente fecha a loja. Ficamos ilhados e fica até difícil sair – comenta Rômulo Torres, gerente de uma loja multimarcas que, mesmo construída mais de um  metro acima do nível da cal­çada, sofre as consequências dos alagamentos.

Em nota, a concessionária Prolagos informou que uma equipe técnica esteve na tarde de ontem nas ruas Rui Barbosa, Florismundo Batista Machado e Tamoios e constatou que os va­zamentos nos locais são prove­nientes das redes de drenagem pluvial (água de chuva) do mu­nicípio, cuja manutenção é de responsabilidade da Prefeitura.

Por sua vez, a administração municipal informou que promo­ve ação de limpeza por todas as vias públicas da cidade. A ação começou no início deste mês e irá passar por todos os bairros entre primeiro e segundo distri­tos. Segundo a Prefeitura, os es­forços foram intensificados para amparar a população por conta do aumento de fluxo de pessoas no período das férias e verão.