Assine Já
quinta, 25 de fevereiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26207 Óbitos: 900
Confirmados Óbitos
Araruama 6686 181
Armação dos Búzios 3181 32
Arraial do Cabo 844 37
Cabo Frio 7163 342
Iguaba Grande 2472 54
São Pedro da Aldeia 3486 126
Saquarema 2375 128
Últimas notícias sobre a COVID-19
Brechó

“Brechó sem Dó” vai reunir cultura, entretenimento, música e gastronomia

Edição deste fim de semana já tem mais de 800 peças catalogadas

03 dezembro 2015 - 09h58

O que teve início apenas como um simples brechó que reunia roupas usadas de três amigas e pessoas mais próximas tomou proporções maiores e ga­nhou um ar cult. O ‘Brechó Sem Dó’, que acontece neste sábado e domingo, às 16h, no Novo Por­tinho, em Cabo Frio, vai reunir cultura, entretenimento, música, gastronomia e caridade, além de muita roupa. Ao todo, mais de 800 peças já foram catalogadas.

Há quatro edições, a ideia das amigas Heloisa Antun, de 23 anos, Vanessa Mazzei, de 20, e Amanda Armstrong, 24, era su­prir a falta de um bom brechó na Região dos Lagos. Desta vez,

 a venda de roupas vai reunir atrações musicais como Sola­ris, Vinicius Santa Rosa, Nico­las Francesco e Ivo Vargas. Os shows acontecem no sábado, a partir das 16h. Além dos shows, o evento vai contar com uma ex­posição de fotos da Aldeia Xin­gu e mostra do coletivo artístico Arte em Si-Bemol. Segundo He­loisa, cada edição só aumenta a quantidade de novas ideias.

– Com o passar do tempo só vem crescendo. Desta vez tam­bém vamos realizar uma feira de adoção de gatos e uma cam­panha de ‘Natal Sem Dó e Sem Fome’. Pedimos para que, quem puder, leve alimentos e roupas – contou a organizadora.

Outra preocupação do trio é com a qualidade dos produtos oferecidos no brechó:

– Não colocamos qualquer roupa à venda. Prezamos muito pela qualidade, não só pela mar­ca. Por isso colocamos as roupas de marca com o mesmo preço das outras. A única diferença de preço é nas roupas que nunca fo­ram usadas – complementa.

Para quem vai procurando por diversão a expectativa também é das melhores. A ‘Expo Xin­gu’ vai reunir fotos da fotógrafa inglesa Maureen Bisilliat e tex­tos de Orlando e Cláudio Villas-Bôas. As fotos fazem parte de um documentário que mostra a tribo indígena entre os anos de 1974 e 77. A outra exposição fica a car­go do coletivo artístico local Arte em Si-Bemol, que ornará o bre­chó com poesias e desenhos.

– A quantidade de pessoas só aumenta a cada ano. Antes nós não tínhamos essas exposições, mas agora queremos fazer disso um lugar de arte também. Quem for vai encontrar quatros e pin­turas. É isso que tentamos fazer: mostrar arte e cultura para a re­gião – comemorou Heloisa.