Assine Já
quinta, 21 de outubro de 2021
Região dos Lagos
20ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
MEIO AMBIENTE

Bandeira Azul é arriada por causa de vegetação na Praia do Peró

Durante o dia, centenas de trabalhadores, guarda-parques e voluntários participaram de um grande mutirão de limpeza

20 dezembro 2019 - 18h42Por Redação
Bandeira Azul é arriada por causa de vegetação na Praia do Peró

Símbolo internacional de qualidade de praias, a Bandeira Azul foi arriada excepcionalmente na tarde desta sexta-feira no Peró por causa das toneladas de gigogas que vieram das lagoas de Carapebus. Durante o dia, centenas de trabalhadores, guarda-parques e voluntários participaram de um grande mutirão de limpeza das praias do Peró e das Conchas. O secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Flávio Moreira, disse que a bandeira será novamente hasteada às 8h deste sábado porque as equipes fizeram a limpeza completa das praias até o fim da tarde.

O mutirão reuniu mais de cem servidores municipais e agentes do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), entre os quais o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas, Marcelo Morel, e a chefe do Parque Estadual da Costa do Sol (PECS), Natalie Chagas. Mário Flávio Moreira e a coordenação do projeto Bandeira Azul também participaram, além de dezenas de garis da Comsercaf, que estão trabalhando dia e noite na retirada das gigogas que encostaram nas praias.

– Está tudo limpo com a atuação da força-tarefa Prefeitura/INEA. Embora as gigogas não oferecessem riscos aos banhistas, o protocolo recomendou a retirada temporária da Bandeira Azul por causa da poluição visual e da  movimentação de tratores na areia. Neste sábado com certeza ela estará de volta ao mastro – afirmou Mário Flávio.

A chefe do PECS disse que a comunidade e a prefeitura pediram auxílio ao governador Wilton Witzel para a operação de limpeza das praias:

– Foi um trabalho braçal e pesado no Peró e nas Conchas, na área do PECS. Neste sábado vamos atuar em Búzios, com ajuda de guarda-parques de outros parques – explicou.

Durante o mutirão, os turistas também participaram da limpeza da praia. Foi o caso da italiana Camila Massara, que está passando uma temporada em Cabo Frio e se juntou à equipe do INEA. Na área certificada, o analista de redes Vinícius Cofler Miguel e sua mulher, a engenheiracivil Suelen, que moram em Vitória, no Espírito Santo, ajudaram os garis da Comsercaf:

– Nós escolhemos a Região dos Lagos para passar nossa lua de mel. Somos de famílias humildes, que aprendem a dar valor ao pouco que têm. Nós estávamos sentados, em trajes de banho, e vimos os trabalhadores, de calça, tênis e celular, na água retirando as gigogas. Nós levantamos fomos ajudar. Para nós isso é padrão: ajudar e manter as coisas limpas. E este lugar é lindo demais – comentou Vinícius.

As gigogas chegaram ao Peró e a outras praias da Região dos Lagos por causa da abertura irregular das Lagoas de Carapebus e Paulista, no Norte Fluminense. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal estão apurando responsabilidades. As barras das lagoas foram abertas pela Prefeitura de Carapebus, com autorização do ICMBio, e a do Paulista por populares. Neste sábado, a limpeza será feita no Pontal do Peró.

– Inadmissível autorizar uma abertura de comportas sem a menor avaliação de impacto ambiental e prejuízos as cidades vizinhas. E agora? Quem paga a conta? – indagou Magno Maiques, um dos coordenadores do Projeto Bandeira Azul.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.