Assine Já
domingo, 16 de maio de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
15ºmin
Alerj
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 38271 Óbitos: 1463
Confirmados Óbitos
Araruama 9632 300
Armação dos Búzios 4705 57
Arraial do Cabo 1332 69
Cabo Frio 10222 542
Iguaba Grande 3800 93
São Pedro da Aldeia 5306 227
Saquarema 3274 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
Miguel Couto

Aulas no colégio estadual Miguel Couto recomeçam nesta quinta (9)

Depois de 48 dias, estudantes desocuparam escola na última segunda (7)

08 junho 2016 - 09h11
Aulas no colégio estadual Miguel Couto recomeçam nesta quinta (9)

Estudantes permaneceram quase 50 dias alojados na unidade (Divulgação/Lauro Cernicchiaro)

Depois de quase 50 dias de ocupação por estudantes da rede pública, a escola estadual Miguel Couto, no centro de Cabo Frio, vai recomeçar as aulas a partir desta quinta-feira (9), no turno da manhã, apesar da greve estadual dos professores, iniciada em 2 de março. A informação é a diretoria da unidade, que no começo da tarde de ontem afixou um aviso na porta do colégio para avisar aos pais e alunos.

Por conta da paralisação, a expectativa é que as atividades sejam retomadas de forma gradual, sem todos os horários e aulas, ainda que nem todos os profissionais tenham aderido ao movimento. Uma assembleia da categoria acontece nesta quarta (8) às 10 horas, na quadra da escola de samba São Clemente, no centro ocupaçãoda capital, para decidir a continuidade da greve.

Os estudantes, que além do Miguel Couto, ocupavam também os colégios Renato Azevedo (Cabo Frio); Vinte de Julho (Arraial) e Edmundo Silva (Araruama) optaram pela retirada depois que o governo do estado sancionou a lei que institui a eleições direta para os diretores das unidades. Outra vitória foi a extinção do Sistema de Avaliação da Educação do Estado do Rio (Saerj), a partir de 2017.

A preocupação agora é a melhoria na estrutura das escolas, problema mostrado pela Folha em várias reportagens ao longo das últimas semanas. Quanto a isso, a secretaria de Educação também já se comprometeu a fazer as reformas necessárias.