Assine Já
quinta, 24 de setembro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
greve

Aulas de reposição da escola Alfredo Castro serão dadas em outro local

Como unidade segue sem condições sanitárias de receber alunos, atividades serão transferidas para o Edilson Duarte

12 março 2016 - 10h16Por Rodrigo Branco
Aulas de reposição da escola Alfredo Castro serão dadas em outro local

A secretaria de Educação de Cabo Frio definiu que a reposição de aulas do ano passado para 200 alunos da Escola Municipal Alfredo Castro, no Jardim Caiçara, será feita a partir desta segunda-feira a poucas quadras dali, na Escola Edilson Duarte, no mesmo bairro. A decisão foi tomada pela falta de condições sanitárias na unidade, que sofreu com infestação de ratos e pombos, conforme revelou reportagem da Folha dos Lagos publicada na última quarta-feira. Por outro lado, o início do ano letivo de 2016 ainda é uma incógnita.

Marcado para 6 de abril em toda a rede, o começo das aulas pode ser adiado no Alfredo Castro, pois vai depender de um grande mutirão de limpeza previsto para semana que vem. O diretor da unidade, Francisco Matos, afirmou que pedirá laudo de um médico sanitarista para confirmar as condições de salubridade no local, especialmente da sala de leitura, um dos locais mais atingidos pela invasão dos roedores.

– Faço questão que esses livros sejam incinerados. Porque as pessoas veêm os livros pela rua e os levam para casa. E a gente não quer que digam que o livro sujo de urina saiu do Alfredo Castro – comentou salientando que o criadouro de ratos não surgiu na escola.

A Folha entrou em contato com o secretário de Obras, Paulo Henrique Corrêa, para saber do andamento da construção do novo prédio que abrigará a escola e da reforma nas unidades municipais. Ele ficou de levantar as respostas, mas não retornou até o fechamento desta edição.

Enquanto isso, o Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe) tem divulgado as pendências de estrutura em outras unidades da rede, conforme a Folha reporduz a seguir:

E.M.Talita Perelló (Jd. Esperança) – mato alto

E.M. Iara Coutinho (Centro) – mureta do parquinho quebrada

E.M. Ver. Leaquim Schuindt (Jd. Esperança) – mato alto, infiltrações, piso quebrado e quadra sem proteção

E.M. Marília Plaisant (Jd. Esperança) – fiação solta, infiltrações e muro quebrado

E.M. Maestro Rui Capdeville (Jd. Nautilus) – problemas nos basculantes e teclado

E.M. Lerineia Figueiredo (Jacaré) – esgoto na entrada

E.M. Professora Catharina Silveira Cordeiro (Monte Alegre) – mato alto e mobiliário danificado

E.M. Robinson Azevedo (Parque Burle) – infestação de pombos e grade danificada

E.M. Prof.ªCiléa Maria Barreto (Jd. Peró) – mato alto e infestação de caramujos africanos

E.M. Profª Patrícia Azevedo de Almeida (Jd. Esperança) – problemas diversos de infraestrutura nos imóveis, que são alugados