Assine Já
domingo, 24 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Hospital da Mulher

Atendimento no Hospital da Mulher é suspenso por falta de equipamentos

Médicos de plantão protestaram por falta de materiais básicos como gazes e anestesias

06 setembro 2016 - 18h25
Atendimento no Hospital da Mulher é suspenso por falta de equipamentos

A expressão de dor no rosto de uma grávida expressava bem o que foi o dia no Hospital da Mulher de Cabo Frio, no Braga, na manhã de ontem: um caos. Os três médicos de plantão na unidade se recusaram a fazer atendimentos por causa da falta de materiais básicos como remédios, anestesias, gazes e ataduras. As atividades foram suspensas por volta das 10h30 e só retornaram no fim do dia.
O tumulto começou quando uma gestante não pôde ser atendida – a direção do hospital acionou a Guarda para conter uma vizinha inconsolável com o descaso.


O guarda municipal Gérson Estolano solicitou à reportagem que saísse do hospital e ficasse do lado de fora ao lado de toda a imprensa presente.
– A Guarda foi acionada por causa de uma moça que ficou exaltada. Só há um guarda na unidade normalmente. Viemos aqui resguardar o patrimônio público da cidade – afirmou Gérson Estolano.


A camareira Cíntia Alves, 31, chamou a Polícia Militar para que, ao menos, a sua vizinha ficasse dentro da unidade – depois disso a unidade foi fechada.
– Não tenho nem o que falar. Há duas mulheres lá dentro do hospital e não tem nada: gaze, anestesia, atadura. Há três médicos, mas não tem material nenhum. Havia uma grávida se contorcendo nas cadeiras do hospital. Isso nem era minha responsabilidade, mas deitei ela de lado. É um absurdo – critica.

*Leia a matéria na íntegra na edição desta quarta-feira (7) da Folha dos Lagos!