Assine Já
sábado, 19 de junho de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
17ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 42977 Óbitos: 1659
Confirmados Óbitos
Araruama 10577 334
Armação dos Búzios 5176 57
Arraial do Cabo 1486 82
Cabo Frio 11408 615
Iguaba Grande 4433 107
São Pedro da Aldeia 5868 254
Saquarema 4029 210
Últimas notícias sobre a COVID-19
Turismo

Associação de Hotéis denuncia esquema de extorsão na cidade

'Vigilância Sanitária' cobrava de R$ 5 a 8 mil para livrar de fiscalização

29 maio 2015 - 09h56

NICIA CARVALHO

Pelo menos quatro hotéis de Cabo Frio e dois restaurantes sofreram tentativa de extorsão. Os estabelecimentos receberam ligações de uma pessoa que se identificava como diretor operacional da Vigilância Sanitária do Estado Rio de Janeiro, que chegava a cobrar R$ 5 mil a R$ 8 mil para retirar o hotel da rota de fiscalização. A Associação de Hoteis (AHCF) registrou queixa na 126° Delegacia de Polícia.

Segundo Carlos Cunha, presidente da instituição, o golpista se apresentava como Jaime Fonseca e afirmava que haveria uma operação de fiscalização na cidade, mas que os “hotéis que fossem amigos” não seriam fiscalizados. Para alguns estabelecimentos a cobrança era de R$ 1.500.

– Os associados acharam estranho e ninguém chegou a pagar, mas a extorsão poderia ter acontecido. Pesquisamos na internet e descobrimos que o número real da vigilância era outro – destacou.

Segundo ele, o homem passou dados bancários de uma conta na Caixa Econômica Federal, cuja titular era ‘Vânia Lúcia’, e de dois números telefônicos que eram atendidos como “vigilância sanitária”. Depois da pequisa, a Associação entrou em contato com o setor no Rio, que garantiu não ter essa prática.
Cunha disse ainda que as ligações começaram em fevereiro deste ano, mas que os associados foram comunicados pela associação por e-mail da prática em andamento na cidade. No entanto, em março os hotéis continuaram recebendo ameaças por telefone e, então, registraram a ocorrência na delegacia. Se for preso, o autor pode ser autuado no artigo 158 do Código Penal.