Assine Já
sexta, 22 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Amanda Matos

Artista Amanda Matos, moradora de Cabo Frio, faz sucesso no Raul Gil

Uma cantora de tirar o chapéu

25 outubro 2015 - 09h00Por Gabriel Tinoco

Microfone de ouro em pu­nho. A voz anunciava o nome com entonação inconfundível: Amanda Matos. Era hora dela entrar no palco para mais uma apresentação de gala no Progra­ma do Raul Gil, um dos maiores caçadores de talentos da TV bra­sileira – e esse era mais um. No repertório, uma canção conheci­da por ouvidos do mundo inteiro e uma interpretação repleta de falsetes, no mesmo compasso dos backing vocals do progra­ma de auditório mais famoso do país. A vocalista, que atual­mente mora em Cabo Frio, está classificada para a etapa 7 e tem novos planos para a carreira.

– Raul Gil é maravilhoso. É humilde, atencioso, exatamente aquilo que a gente vê na tele­visão. Ele vai no camarim falar com as candidatas. Aliás, toda a equipe do SBT foi assim – co­menta ela.

Música e Amanda sempre ca­minharam paralelamente. Desde que “se entende por gente”, a menininha revelava uma paixão incessante por cantar. Tanto que desfilava a voz nas festas de fa­mília ou até mesmo entrava na onda do karaokê. Pouco a pou­co, o que era uma simples brin­cadeira virou uma vida profis­sional séria.

– Profissionalmente, apenas com 18. Mas sempre cantei des­de criancinha, cantava em bares, em festinhas de família... Lem­bro quando começou a onda de karaokê, aí mesmo que cantava sem parar. Trabalhei com músi­ca cantando em bares. Gostava bastante de cantar na noite. Co­mecei a interpretar clássicos da Bossa Nova com um amigo que estudava música na Uerj. Ele no violão e eu na voz. Ensaiava Tom Jobim, Chico Buarque, Ca­etano Veloso, MPB de um modo geral né? – conta.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa deste fim de semana