Assine Já
sexta, 25 de setembro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Arraial

Arraial não tem previsão de pagamento do 13º salário

Secretário de Administração pretende quitar folha de outubro até o próximo dia 15

09 novembro 2017 - 10h55Por Rodrigo Branco I Foto: Reprodução
Arraial não tem previsão de pagamento do 13º salário

É bom que os servidores municipais de Arraial do Cabo não façam contas incluindo o 13º salário porque não há previsão de quando ele será pago por falta de recursos. A informação foi passada ontem pelo secretário de Administração, Luiz Cláudio Leal Barreto.

– Na minha visão, o 13º salário é lei e será pago. Estamos correndo atrás, emprenhados em conseguir os recursos e aumentar as receitas. A vontade do prefeito é que nem atrasasse o pagamento – comentou Kall, como o secretário é conhecido na cidade. 

Sobre os atrasos salariais, o secretário afirmou que a expectativa é quitar a folha do mês de outubro até a próxima quarta-feira, dia 15. Contudo, ele afirma que os profissionais da Educação terminaram de receber ontem, quinto dia útil do mês, graças à verba do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Mais complicada é a situação dos servidores comissionados, muitos com salários de mais de R$ 2 mil. Nesse caso, o atraso salarial chega a dois meses. O secretário reconhece o cenário e diz que cortes serão necessários.

– A gente dá prioridade aos salários mais baixos. Mas vamos ter que fazer dispensas por causa do limite de 54% da Lei de Responsabilidade Fiscal, o que nos preocupa, para colocar a casa em dia – disse o secretário.

Atualmente, a prefeitura conta com cerca de 3 mil funcionários. Para Kall, o ideal é trabalhar com um número entre 2.500 e 2.600. A folha salarial precisa baixar dos atuais R$ 5,3 milhões para R$ 4,5 milhões. Uma queda acentuada, mas que será feita de forma gradativa, segundo o secretário.

– O problema não é exatamente o número de pessoas, mas os valores que recebem. A gente veio para tentar ajustar, reorganizar. O orçamento foi deixado pelo governo anterior, o que dificulta. Mas a perspectiva para o ano que vem é bem melhor. Estamos trabalhando para isso – finaliza Kall, que está no cargo desde 11 de setembro.

Antes de chegar à Administração, ele passou por outros setores da atual gestão, como a Empresa Cabista de Desenvolvimento Urbano e Turismo (Ecatur), que entrou em liquidação e a Empresa de Saneamento de Arraial (Esac).