Assine Já
quinta, 24 de setembro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Zika

Arraial do Cabo em estado de alerta contra o zika vírus

Município cabista já apresentou 21 casos de suspeita da doença

10 dezembro 2015 - 09h24

Arraial do Cabo ligou o sinal amarelo para casos de de zika vírus no município. Com 21 ca­sos de infecção registrados, os cabistas têm o maior índice de contaminações de toda a Região dos Lagos este ano. Na quase vi­zinha São Pedro da Aldeia, por exemplo, não foi contabilizado nenhum caso.

Para tentar evitar que o nú­mero de infecções cresça ain­da mais, a Secretaria de Saúde cabista vai fazer um mutirão em combate ao Aedes aegypti – mosquito transmissor da den­gue, zika e chikungunya –, hoje, no distrito de Figueira. Amanhã será a vez do bairro Caiçara re­ceber o mutirão. A campanha teve início ontem, no Sítio.

São Pedro – Para tentar con­trolar os focos de mosquitos em São Pedro da Aldeia, a Secreta­ria de Saúde está realizando vis­torias domiciliares, tratamento focal e levantamento de índice rápido – responsável pela coleta de focos. Para a alta temporada, o Projeto Verão vai buscar aten­der os bairros que apresentam alto índice de pendência para al­cançar os veranistas que chegam ao município.

 

Aumenta o índice de zika no país

Até o mês passado, 1,5 mi­lhões de casos de dengue foram registrados em todo o país. O número representa um aumento de 176% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 555,4 mil ca­sos. Dos mais de 17 mil casos de chikungunya registrados, 6,7 mil foram confirmados. No ano pas­sado foram registrados até 1,4 milhões de casos de zika em todo o país. O estado com o maior nú­mero de infecções é São Paulo, com 236 mil casos. O Estado do Rio de Janeiro não aparece na lista dos cinco estados que mais tiveram registro da doença.

A melhor forma de se prote­ger do mosquito é evitar que ele se desenvolva. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, o uso de inseticidas não é uma boa forma de combater o Aedes aegipiti. De acordo com pesqui­sas feitas pelo Governo do Esta­do, o excessivo uso de remédios tem deixado os mosquitos cada vez mais resistentes.

A Secretaria de Saúde indica modos de eliminar os focos do mosquito. Ações como colocar areia nos vasos de plantas, evi­tar que água fique acumulada, jogar fora todos os objetos que possam servir como criadouro, manter as caixas d’águas tampas e limpar as calhas dos telhados.