Assine Já
sexta, 14 de maio de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
http://www.alerj.rj.gov.br/
TEMPO REAL Confirmados: 38176 Óbitos: 1459
Confirmados Óbitos
Araruama 9632 300
Armação dos Búzios 4701 57
Arraial do Cabo 1317 69
Cabo Frio 10146 538
Iguaba Grande 3800 93
São Pedro da Aldeia 5306 227
Saquarema 3274 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
liminar

Após liminar, novo secretário de Educação se reúne com categoria hoje

Alessandro Teixeira tenta reconciliação com o Sepe após Procuradoria suspender a greve

27 setembro 2017 - 11h01Por Rodrigo Branco
Após liminar, novo secretário de Educação se reúne com categoria hoje

Não será das mais tranquilas a estreia do novo secretário de Educação, Alessandro Teixeira, em uma reunião de conciliação com o Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe Lagos). O encontro acontece no fim da tarde de hoje na 2ª Promotoria da Infância e da Juventude de Cabo Frio. A tensão entre governo e sindicalistas aumentou depois que, ontem, foi publicada no Diário Oficial do Estado uma liminar que suspende a greve da categoria, definida em uma assembleia no último dia 11. 
A decisão foi proferida no dia 20 pelo desembargador Milton Fernandes de Souza, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio (TJ-RJ). A liminar estabelece a volta às aulas para hoje, 24 horas após a publicação da decisão, sob pena de multa diária de R$ 10 mil para o Sepe Lagos, em caso de descumprimento. Questionado se a decisão não fere o direito de greve dos servidores, o procurador-geral do município, Paulo Lage, afirmou que o sindicato se excede nas reivindicações.
– Há o direito de greve sim, mas não pode haver o abuso desse direito. Não há atraso de pagamento para justificar a greve. A atual gestão está fazendo de tudo para lidar com a crise. As contas foram abertas pela secretaria de Fazenda ao Sepe e mesmo assim eles continuam fazendo greve atrás de greve, causando séria instabilidade no município e prejudicando os alunos da rede pública, que somente terminaram o ano letivo de 2016 em março deste ano. O maior prejudicado é o estudante – alega o procurador.
Como esperado, a medida não caiu bem entre os sindicalistas. A diretora de imprensa do Sepe Lagos, Denise Teixeira, afirmou que o sindicato não foi notificado, mas adiantou que a categoria não vai recuar. 
– Vemos isso de uma forma bem ruim. O governo não pagou o mês de agosto a todo mundo; não cumpre o plano de carreira que ele mesmo criou; não paga o que deve em acordo judicial e ainda toma um posicionamento desses. Mas quem delibera entrada e saída de greve é assembleia da categoria. Não vamos nos amedrontar. Assim que formos notificados, vamos recorrer – garante Denise.
 

* Confira matéria completa na edição impressa da Folha dos Lagos desta quarta (27).