Assine Já
sexta, 25 de setembro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
sine fechado

Após dois meses, Sine continua fechado

Funcionamento foi suspenso por falta de pagamento aos funcionários

02 julho 2015 - 09h21

A esperança dos que procuram emprego continua batendo nas portas fechadas do Sistema Nacional de Emprego (Sine-RJ), em Cabo Frio. Dois meses após ter o funcionamento suspenso por falta de pagamento aos funcionários, de acordo com a Secretaria de Estado de Trabalho e Renda (Setrab), o órgão continua sem previsão para voltar a abrir e oferecer empregos para quem procura.
Em maio, o secretário de Trabalho, Arolde de Oliveira, afirmou, em reunião à comissão de representantes dos contratados IBAP, parte da dívida paga e que o levantamento do débito está sendo concluído para definir o que deve ser repassado.
Segundo informações do Setrab, os funcionários do Instituto Brasileiro de Administração e Apoio Universitário do Rio de Janeiro (IBAP), responsáveis pela manutenção do Sine-RJ, estão paralisados por atraso de pagamento e benefícios.
O Sine-RJ é responsável por gerar emprego para a população de Cabo Frio e Região. Em média, 20 vagas de emprego eram geradas por semana.
 

Desemprego sobe quase 7% no país


De acordo com a Pesquisa Mensal do Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego subiu 6,7% em seis regiões metropolitanas – Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Salvador. Em maior do ano passado o desemprego estava em 4,9%. Dentre as capitais, Rio de Janeiro obtém o menor índice de desemprego, com 5%.
A taxa é a mais alta registrada havia em maio de 2010, quando alcançou 7,5%. Desde então o percentual vinha caindo em comparação com o mesmo período do ano anterior. Essa foi a primeira alta de 2015 se comparado ao ano de 2014.
Segundo Eduardo Rosa, presidente da Associação Comercial, Industrial e Turística de Cabo Frio, a forte retração do mercado tem sido comum e a situação não é diferente na cidade cabofriense.
– Venho percebendo uma retração forte em todo o mercado. Em Cabo Frio não é diferente. Acredito que as demissões que aconteceram recentemente na cidade, ajudem para esse índice. Esses indicadores negativos, com lojas fechando, mostram o momento de estagnação do mercado – afirma Eduardo.