Assine Já
quarta, 20 de outubro de 2021
Região dos Lagos
19ºmax
16ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Cabo Frio deve receber mais de R$ 174 milhões em royalties do petróleo este ano

Quantia deve chegar a quase R$ 250 milhões no fim de 2023

22 maio 2019 - 08h36
Cabo Frio deve receber mais de R$ 174 milhões em royalties do petróleo este ano

RODRIGO BRANCO

 

Cabo Frio deve receber mais de R$ 174 milhões em royalties do petróleo este ano e essa quantia deve chegar a quase R$ 250 milhões no fim de 2023. Isso representa um aumento de aproximadamente 43% ao longo dos próximos quatro anos e meio. As perspectivas mais do que otimistas são da Agência Nacional de Petróleo (ANP), que acaba de inaugurar uma ferramenta em seu site que permite calcular quanto o país, os estados e municípios podem arrecadar com o recurso nos próximos anos.

As estimativas são feitas pela ANP com base nos volumes de produção dos poços e campos declarados pelas empresas; nos preços de referência do petróleo e do gás natural; nas taxas de câmbio, nas alíquotas de royalties previstas nos contratos de exploração e produção de petróleo e gás, e em decisões judiciais. Contudo, a entidade adverte que, dado o grau de incertezas inerentes a estas variáveis, não garantia de que o cenário vai se concretizar.

Para 2019, a ANP trabalha com o valor médio do dólar a R$ 3,81, enquanto o preço do barril de petróleo ‘brent’ (comercializado na Bolsa de Londres e que tem como referência o óleo extraído no Mar do Norte e no Oriente Médio) com o valor médio de US$ 69,64. Para 2023, as estimativas são semelhantes: dólar a R$ 3,90 e barril de petróleo a US$ 67. Então o que fecha a equação para um aumento tão significativo na arrecadação de Cabo Frio com os royalties?

Na opinião do administrador e especialista na área de petróleo Leandro Cunha, a justificativa é o crescimento na produção, que será uma tendência para os próximos anos. Contudo, ele adverte que a gradual migração da exploração dos poços na Bacia de Santos deve promover o último ciclo de bonança dos municípios que se beneficiam da Bacia de Campos.

– O Plano de Negócios da Petrobras prevê um crescimento da produção, numa média de 5% ao ano. Se você considerar que a produção da Petrobras mais alguns investimentos privados para exploração e produção, então a gente tem um volume de produção atingindo uma boa marca com entrada de várias plataformas, principalmente agora em 2019. Agora, é preciso lembrar que, do volume produzido de petróleo, a maior parte já está se deslocando para os municípios do litoral sul fluminense. A arrecadação de royalties também já está se deslocando para esse municípios, sendo Niterói e Maricá os maiores contemplados. Arraial do Cabo também deve ser beneficiado nisso aí – acredita Leandro. 

Para Arraial, as estimativas são ainda mais promissoras. De acordo com a ANP, o município deve fechar 2019 com uma arrecadação de R$ 86,2 milhões. Em 2023, já sob o efeito do pré-sal, devem entrar nos cofres cabistas cerca de R$ 230 milhões. Em Búzios, o salto será mais modesto: o balneário deve fechar este ano com R$ 87,8 milhões arrecadados. O crescimento gradual na arrecadação pode garantir ao município buziano em torno de R$ 136 milhões daqui a quatro anos.

Cabo Frio recebe mais de R$ 13 milhões pela primeira vez no ano

A boa maré para Cabo Frio com relação aos royalties é imediata. De acordo com a ANP, o município vai receber do Tesouro Nacional nos próximos dias a quantia de R$ 13.063.547,67. É a primeira vez no ano que entrarão mais de R$ 13 milhões nos cofres cabofrienses. Contando com as participações especiais, pagas em cotas trimestrais, o município teve direito de receber quase R$ 80 milhões. 

A grande notícia, contudo, foi Arraial do Cabo quem recebeu. O município viu dobrar a arrecadação de um mês para o outro. Em maio, o Tesouro vai pagar R$ 8.326.290,39, mais do que o dobro do que entrou nos cofres cabistas em abril. Parte do dinheiro é referente a uma parcela da exploração do campo de Mero, na Bacia de Santos, que estava retida. 

Os recursos do pré-sal devem ser aplicados na proporção de 75% para a Educação e 25% para a Saúde. O prefeito Renatinho Vianna (PRB) comemorou a notícia do aumento da arrecadação e já vislumbra os investimentos nos dois setores.

– Diante de todas notícias ruins, temos que levantar as mãos para o céu e agradecer por isso que aconteceu. Isso foi fruto de muito trabalho. A gente vai trabalhar, já começamos os investimentos. No dia 30, já começa a reforma do hospital. Vamos começar as obras e avançar bastante para compensar o tempo que ficou para trás – anuncia Renatinho.