Assine Já
quarta, 03 de março de 2021
São Paulo
39ºmax
24ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26908 Óbitos: 924
Confirmados Óbitos
Araruama 6793 183
Armação dos Búzios 3238 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7468 356
Iguaba Grande 2542 56
São Pedro da Aldeia 3551 126
Saquarema 2451 133
Últimas notícias sobre a COVID-19
bois

Animais na pista tiram o sono de motoristas na Estrada do Guriri

Pista é o principal 'ponto de encontro' de bois e cavalos, principalmente à noite

18 julho 2014 - 22h25Por Rodrigo Branco
Animais na pista tiram o sono de motoristas na Estrada do Guriri

Quem trafega pela Estrada do Guriri e outras rodovias que cortam Cabo Frio tem que se preocupar não apenas com a grande quantidade de buracos e a sinalização precária, mas também com outro tipo de obstáculo dos mais perigosos: os animais que invadem a pista, principalmente os de grande porte, a exemplo de cavalos e bois.

O problema é recorrente e tem sido alvo de frequentes reclamações de motoristas e moradores, conforme pôde atestar a reportagem da Folha dos Lagos em flagrante registrado no Guriri, na noite de anteontem. É justamente nesse período do dia que a situação se agrava, por conta da  iluminação precária no local.

O secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, José Faustino Júnior não apenas tem ciência do problema como afirma que sua pasta tem atuado frequentemente para sua solução. No entanto, ele afirma que, apesar da grande quantidade de apreensões, o trabalho de fiscalização é difícil.

– Hoje temos basicamente dois problemas. Em primeiro lugar, Cabo Frio tem uma área muito extensa e, portanto, difícil de fiscalizar. E também porque em alguns desses lugares, nosso pessoal do caminhão já foi abordado pelos supostos donos dos animais, que de repente aparecem, alguns deles até armados – explicou o secretário.

Ainda de acordo com ele, nas grandes operações, o órgão tem apoio da Polícia Militar e da Guarda Municipal, todavia, nem sempre as forças de segurança enviam homens para proteção dos funcionários. Na sua opinião, as áreas mais críticas são as das comunidades que margeiam a Avenida Wilson Mendes, como  Jardim Esperança, Boca do Mato, Valão, Jacaré e o próprio Guriri, entre outros.

– A PM sempre nos dá suporte imediato, mas não é toda hora que conseguimos uma viatura para nos acompanhar – admite ele, acrescentando que  a atividade pastoril, típica da região, é outro aspecto que complica a atuação do Poder Público.

Cavalos e bois recolhidos são levados para um depósito na Fazenda Campos Novos. Atualmente, pela Lei Municipal Nº1.562/2001, aqueles que não são retirados dentro de um prazo de até sete dias, são levados para o Curral Conveniado de Tambi, em Itaboraí. Na primeira vez que o animal é apreendido, seu dono ainda tem que pagar uma multa de R$100. Na reincidência, o valor  dobra e a partir de então, ele perde o animal definitivamente. Para Faustino Júnior, a legislação deveria ser mais rigorosa para inibir os infratores.