Assine Já
quinta, 24 de setembro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
anansa

Anansa e Priscila conseguem liberdade provisória na justiça

Ambas chegaram a Cabo Frio no fim da tarde de sexta (11)

12 setembro 2015 - 13h01

NICIA CARVALHO

Após dois meses de longa espera, Anansa Gonçalves, de 35 anos, e Priscila Monteiro, 32, acusadas no início de junho de tentativa de homicídio contra Raquel Marinho, 35, consegui- ram que a justiça concedesse liberdade provisória. O habeas corpus foi expedido na última quinta-feira, dia 10, mesmo dia em que as testemunhas arroladas no processo foram ouvidas no Fórum de Cabo Frio. Ambas chegaram à cidade no fim da tarde de ontem. O pai de Anansa, Remir Gomes Ribeiro, 59, foi ao presídio do Complexo Penitenciário de Gericinó, o Bangu 8, acompanhado de dois netos e do pastor da Igreja Metodista do Jardim Esperança, bairro onde a família mora.

– As acusações não são verdadeiras e foram motivadas apenas por ciúme e olho grande. Acho que a justiça se precipitou ao prendê-las e, pior, ao transferi-las. Passamos por momentos difíceis, elas também. Minha esposa não conseguiu visitá-las nem um dia porque ficou muito abalada com toda essa situação. Ela ainda está com a pressão alterada – contou.

As duas mulheres ficaram detidas cerca de dois meses. Neste período, ao mesmo tempo em que tentavam liberdade para ambas, familiares e amigos fizeram dois protestos: uma em frente ao fórum, no Braga, e outra em frente a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam). Segundo Remir Ribeiro, o processo continua na justiça, mas ele tem dúvidas se haverá julgamento devido à insuficiência de provas.

Amanhã, às 19h, membros da Igreja Metodista vão celebrar um culto em ação de graças pela liberdade de Anansa e Priscila.