Assine Já
terça, 01 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12808 Óbitos: 546
Confirmados Óbitos
Araruama 2519 121
Armação dos Búzios 1300 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3851 182
Iguaba Grande 1182 41
São Pedro da Aldeia 1997 76
Saquarema 1532 94
Últimas notícias sobre a COVID-19
alunos

Alunos do Rui Barbosa voltam às ruas

Estudantes protestam contra possível estadualização do colégio

28 abril 2016 - 11h24Por Rodrigo Branco
Alunos do Rui Barbosa voltam às ruas

Um grupo de aproximadamente 80 alunos da escola municipal Rui Barbosa fez um protesto pelas ruas do centro de Cabo Frio que acabou em frente à sede da prefeitura, na Praça Tiradentes. A manifestação aconteceu em função do fechamento de quatro turmas do período noturno o que, para os estudantes, pode significar o início da passagem do ensino médio para o estado.
– Se não abrem três turmas de primeiro ano deste ano, não barem três de segundo no ano seguinte e consequentemente três de terceiro. O que eles querem é acabar fechando gradativamente: primeiro o turno da noite e depois os outros turnos porque é isso o que eles querem: acabar com o ensino médio de qualidade –  reclama Thainá de Araújo,  aluna do terceiro ano e membro do Conselho Escolar.
A lei determina que o ensino médio deve ser responsabilidade do estado, mas não há proibição para o município geri-lo. Em outubro do ano passado, o Ministério Público fez uma recomendação à prefeitura para transferência do segmento para o estado, mas apenas em 2017.
– Existe uma recomendação  do MP para que o prefeito abra novas creches e ele diz que para fazer isso precisa terminar com o ensino médio. Só que a gente sabe que há dinheiro suficiente para ele abrir creches e manter o ensino médio – afirma a diretora do colégio, Márcia Marques.
Frustrados na tentativa de serem recebidos pelo prefeito Alair Corrêa, os estudantes elegeram uma comissão com cinco membros, que se reunirá hoje à tarde com representantes das secretarias de Educação, Cultura e Administração para tentar resolver o impasse.
Em nota, a secretaria de Educação informou que por conta da greve dos profissionais da Educação, ‘muitas famílias foram buscar vagas para seus filhos em outras redes de ensino’. Segundo a pasta, apesar da ‘ampla divulgação no site da prefeitura e mídia local’, as vagas que sobraram do ranqueamento não foram preenchidas e as turmas acabaram fechadas.

* Matéria completa na edição desta quinta-feira (28) da Folha dos Lagos.

*Foto: Yuri Vasconcelos