Assine Já
domingo, 05 de julho de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 272 585 40
Armação dos Búzios X 256 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 954 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 24 465 16
Saquarema 17 484 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Aluguel de escolas em Cabo Frio para turistas é reprovado

Aluguel de escolas em Cabo Frio para turistas é reprovado

Entrevistados pela Folha nas ruas de Cabo Frio condenam a atividade

17 fevereiro 2016 - 11h46
Aluguel de escolas em Cabo Frio para turistas é reprovado

Duas escolas, uma na Teixeira e Souza e outra no Peró, foram alugadas para turistas durante o Carnaval

 

O aluguel de escolas públicas durante o Carnaval, noticiado com exclusividade pela Folha, não repercutiu bem entre a população. Os moradores reprovaram a ação das diretorias e questionaram para onde iria a arrecadação da Iara Coutinho Gomes, na Avenida Teixeira e Souza, e da Etelvina Santana Fonseca, no Peró. Na matéria, as diretoras alegaram que o dinheiro seria utilizado para manutenção das escolas. A Secretaria de Educação pedirá esclarecimentos para tomar as providências necessárias.
O encarregado geral Izaquiel Souza, 36, pediu mais zelo pelo patrimônio público.

– Se é público, tem que ter zelo, não fazer nenhum aluguel. A escola está paga. Não há porque lucrar em cima – afirma.
Já o cuidador de idosos Thaylla Prices, 19, que não sabia da notícia, ficou espantado primeiramente.

– Que coisa horrível. Escola é escola. Hotel é hotel. Não é justo lucrarem em cima de uma instituição que mal funciona por aqui. Cabo Frio é uma cidade turística, mas não precisamos alugar escolas – comentou.
O funcionário público Paulo César Andrade, 56, estava curioso para saber onde o dinheiro foi investido.

– Para onde vai o lucro? Temos que nos perguntar isso. Afinal de contas, é um bem público. Pode ser que as diretorias tenham algum argumento para utilizar, mas, mesmo assim, o aluguel não deveria ser permitido.
Uma das mais revoltadas era a caixa Pâmela Keyka, 23.

– É absurdo. Muito ruim ver alguém se beneficiando do ambiente público. Ao menos poderiam usar o dinheiro para pagar os servidores que estão sem receber – sugeriu, irônica.
Mas nem todo mundo criticou as diretorias. O zelador Marcelo Santos, 45, por exemplo, não vê problemas se não houver depredação.

– Quem tem que administrar a escola e saber o que é certo ou errado é o governo. Se ninguém está quebrando nada, sinceramente, não vejo problema algum