Assine Já
terça, 19 de outubro de 2021
Região dos Lagos
20ºmax
17ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52181 Óbitos: 2123
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6500 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14677 858
Iguaba Grande 5464 140
São Pedro da Aldeia 6968 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
cabofriense

Alexandre Barroso não é mais técnico da Cabofriense

Treinador deixa o comando do clube após sete meses

29 julho 2014 - 17h52
Alexandre Barroso não é mais técnico da Cabofriense

Alexandre Barroso não é mais técnico da Cabofriense. O clube comunicou, na tarde desta terça-feira (29), o desligamento do treinador, após um acordo entre as duas partes. Barroso comandaria o time no sábado, no Correão, contra o Ituano, em partida válida pela terceira rodada da Série D. Ele deixa o cargo sete meses depois da sua contratação.

Sob o comando de Barroso, a Cabofriense ficou entre as quatro melhores equipes do Rio no Carioca deste ano, alcançando vaga nas semifinais. Nem as duas derrotas para o Flamengo nos confrontos decisivos apagaram a boa campanha da equipe, que acumulou vitórias contra Vasco (São Januário) e Botafogo (em Macaé), além de um empate contra o Fluminense. Foram sete vitórias, quatro empates e seis derrotas, um aproveitamento de 49% dos pontos conqusitados.

Em entrevista à Folha na noite desta terça-feira, Alexandre avaliou como positiva sua passagem pelo clube.

– A avaliação é positiva, claro. Quando cheguei aqui falava-se em manter o time na primeira divisão do Carioca. Depois daquela vitória diante do Vasco em São Januário, começamos a vislumbrar uma classificação. Vieram as derrotas para o Flamengo, o que é normal, e acabamos frustrando uma expectativa. Mas deste trabalho, saíram as vagas para a Série D e a Copa do Brasil, que são conquistas para o clube – afirmou ele.

No entanto, o início ruim na quarta divisão do Brasileiro, somado à sequência sem vitórias (a Cabofriense não vence desde 23 de fevereiro) e à readequação financeira do clube, contribuíram para que a saída de Alexandre fosse o melhor caminho.

– Fica uma relação boa. São coisas do futebol, que acontecem. O início na Série D foi horrível, mas é uma nova realidade, do Carioca para cá. O clube passa por outro momento financeiro, com uma folha de pagamento 50% menor e um time reformula-do. É um grupo que tem apenas 21 jogadores de linha e mais cinco juniores, mas, ainda assim, um grupo muito forte – avalia.

A direção espera anunciar o nome do novo treinador do clube até sexta. A expectativa é que o novo técnico já esteja no comando da equipe no sábado.